Tempo Disparado

Tempo Disparado

Tempo Disparado

 

 

No horizonte desponta um tempo…

Aquele tempo por nós sonhado,

Que, atrelado a contratempos,

Dá rodopios no passado.

 

No horizonte desponta um tempo…

Aquele tempo dos roseirais,

Que botinas, bem-mandadas,

Desejaram funerais.

 

No horizonte desponta um tempo…

Aquele tempo nos punhos cerrados,

Que, entranhado nas memórias,

Foi por ele próprio libertado.

 

No horizonte desponta um tempo…

Aquele tempo de dar as mãos,

Que se expande além de muros

Transformando-nos irmãos.

 

No horizonte desponta um tempo…

E esse tempo já vem disparado

Não haverá quem o detenha,

Ele é por si mesmo comandado.

 

O que você achou desse texto?

Clique nas estrelas para classificar

Media de classificações / 5. Quantidade de classificações:

Luzia

RJ e gosto de Manuel Bandeira.

Deixe um comentário

avatar
Fechar Menu
×
×

Carrinho

%d blogueiros gostam disto: