Quero morrer feliz

Quero morrer feliz

Sabemos que a morte é uma realidade para todos os seres vivos. É uma certeza incontestável de que um dia, da forma como somos hoje, deixaremos de existir.

Vamos ignorar, por alguns minutos, todas as nossas verdades baseadas na religião que professamos. À partir de agora somos seres mortais e mais nada.

Então, já que no futuro nos espera a foice amarga da morte, como nos preparar para ela? Se temos que ser felizes todas as etapas da nossa vida, então, como ser feliz até na morte?

Pensei bastante nisso e, para minha vida, eu encontrei uma resposta: a felicidade não é algo que nos pertence!

Isso mesmo, a felicidade é algo que nos foi “emprestado” da Vida e que não pode ser entregue à morte. Esta felicidade tem que ser chegar até as outras pessoas, para que possam ir repassando aos que vierem depois, num ciclo sem fim.

Quem teve uma vida feliz, poderá confiar aos que ficam uma felicidade maior ainda da que lhe fora entregue. Os que não tiveram tal sorte, deixam o mundo mais triste, que não pode aproveitar desta dádiva que nos foi confiada.

Espero ter tornado grandiosa esta felicidade que pude chamar de “minha” por alguns breves momentos e, quem sabe um dia, esta felicidade possa se tornar tão grande que as dores do mundo cessem para todo o sempre. E que vivam nossas crianças.

O que você achou desse texto?

Clique nas estrelas para classificar

Media de classificações / 5. Quantidade de classificações:

Roberley Antonio

Escritor e fotógrafo. Membro fundador da Academia de Letras do Brasil. Coordenador da comunidade Canto do Escritor.

Deixe um comentário

avatar
Fechar Menu
×
×

Carrinho

%d blogueiros gostam disto: