Escreva para o Canto

POR TRÁS DAS CORTINAS

                 

     Quando se fecham as cortinas, param os aplausos…então o sorriso de gelo se desfaz e volto a ser eu mesmo, um ser vazio e solitário, volto a caminhar por entre as veredas da vida buscando algo que não se tem quando estou atuando… Já é noite e com as cortinas fechadas o teatro da vida fica sem noção, sem nexo, é tudo complexo, tudo vira real em um mundo irreal, é momento de reflexão.                                                                                 O ator se tornar autor de sua própria história, ponhe-se a chorar, o choro da alma, não há ninguém para ver, por isso ele atua sendo ele mesmo… consegue gritar, consegue fugir… então amanhece, e as cortinas da vida devem se abrir, e meu sorriso retorna, a maquiagem é refeita e volto a ser belo, bonito.                                                    Volto a ser um robô, um robô que sabe ser ator, que sabe tira aplausos na rotina do dia a dia, até as cortinas se fecharem e ser eu mesmo outra vez.                         

O que você achou desse texto?

Clique nas estrelas para classificar

Media de classificações / 5. Quantidade de classificações:

Deixe um comentário

avatar
Fechar Menu
×
×

Carrinho

%d blogueiros gostam disto: