>> Pergunte ao Dr. Paulo Silveira COMO ENTENDER O ELETROENCEFALOGRAMA SIMPLES- E E G.
: starstarstarblankblank
Paulo Roberto Silveira
COMO ENTENDER O ELETROENCEFALOGRAMA SIMPLES- E E G.PDFImprimirE-mail
Colunas -
Qui, 19 de Novembro de 2009 20:11
Escrito por Paulo Roberto Silveira
COMO ENTENDER O ELETROENCEFALOGRAMA  SIMPLES   - EEG

Paulo Roberto Silveira

 

“As mais agudas, as mais grave e as mais mortais das doenças são aquelas mais difíceis de se compreender devido à falta de conhecimento e inexperiência dos médicos: aquelas que atingem o cérebro”

Hipócrates (médico grego, nascido na ilha de Cos, em 460 a.C)

 

Resumo

O objetivo deste estudo é chamar a atenção a respeito da importância do método diagnóstico das doenças neurológicas e psiquiátricas: a eletroencelografia.

Unitermos: eletroencelografia básica.

 

Introdução

A eletroencelografia ocupa-se do registro e do estado da atividade elétrica encefálica.

O primeiro a demonstrar a existência de atividade elétrica espontânea do encéfalo foi Caton, em 1875, utilizando, para isso, eletrodos colocados sobre o crânio de animais (coelhos e macacos) ou colocados em contato direto com o córtex.

A eletroencelografia entrou na prática clínica depois que Adrian e Mathews demonstraram, em 1934, a veracidade dos registros e trabalhos de Berger. A Berger, portanto, corresponde a paternidade do método e sua aplicação clínica, apresentada em 1924). Após a divulgação das observações de Berger, foram desenvolvidas investigações sobre o assunto em diferentes centros de pesquisa. Desde então, pôde-se ver um rápido desenvolvimento da nova especialidade em diferentes setores da medicina, por meio de um grande número de publicações sobre o assunto. Entre os pioneiros da aplicação da eletroencefalografia clínica destacam-se no estudo das epilepsias os nomes de Gibbs, Davis e Lennox, assim como o de Walter na localização de tumores intracranianos.

O registro eletroencefalográfico é um método complexo, obtido por eletrodos dispostos sobre o couro cabeludo, mostrando, sobre um papel em movimento, a DDP ( Diferença de Potencial) entre os mesmos.

A atividade elétrica cerebral é espontânea e contínua, podendo ser evidenciada durante a vigília, o sono, a anestesia e o coma, cessando apenas nos estados extremos de anoxia cerebral. É captada sobre o couro cabeludo, base do crânio, sobre o cérebro exposto ou na profundidade do mesmo.

Quando captados através do couro cabeludo (prática mais usada), os potenciais são ainda menores (geralmente de 30 a 100 microvolts) e seu registro, por meio do oscilógrafo, só se torna possível após prévia amplificação.

Não são suficientemente conhecidos a origem e o modo de formação dos potenciais captados ao nível do couro cabeludo. O que se acha mais provável, no momento, é que resultariam de potenciais formados nos dendritos e/ou nas sinapses axossomáticas e axodendríticas, influenciados pela formação do tronco do encéfalo.

 

Aspectos técnicos

Condições ideais para uma boa tomada de registro:

 

—    paciente em repouso sensorial (olhos fechados);

—    sala em penumbra e refrigerada, a fim de se evitar os artefatos de sudorese livre, tão comumente encontrados;

—    ambiente livre de interferências externas. Desta forma, evita-se os artefatos de interferência externa (ruídos). Em alguns casos, somos obrigado a lançar mão de gaiolas de Faraday.

 

 

Tipos de eletrodos

1.      Superficiais – aplicados sobre o couro cabeludo.

2.      Especiais ou basais – aplicados na base do crânio.

3.      Neurocirúrgicos.

 

O tipo mais usado de eletrodo é o superficial, e consiste em um pequeno disco metálico soldado a um fio condutor isolado. Na prática, utilizam-se geralmente 15 a 20 eletrodos. O registro de atividade captada em quaisquer dos eletrodos denomina-se derivação. Um conjunto de derivações constitui uma montagem.

Quando uma derivação registra a atividade captada por dois eletrodos ativos é denominada bipolar; quando um dos eletrodos é pouco ativo, ou “indiferente”, a derivação se diz unipolar ou monopolar.

Freqüentemente se usam montagens em que um determinado eletrodo é comum a todas as derivações. Tais montagens se denominam montagens “com eletrodo de referência comum”.

Na maioria dos laboratórios, os eletrodos são colocados em oposição estabelecida de acordo com o denominado “Método 10-20”, recomendado pela Federação Internacional das Sociedades de Encefalografia e Neurofisiologia, com base em medidas que constituem de 10% a 20% de duas distâncias fundamentais: uma longitudinal — do Nasio ao Inio — e outra transversal, correspondente à distância entre os pontos pré-auliculares.  As letras Fp, F, C, P, O e T referem-se, respectivamente, às linhas de eletrodos pré-frontais, frontais, centrais ou rolândicos, parietais, occipitais e temporais. Os índices ímpares correspondem ao hemisfério esquerdo e os pares ao direito. Os eletrodos da linha média são representados por Fo, Co e Po. O paciente deve ser instruído previamente quanto à inocuidade do exame, e apresentar-se alimentado, com a cabeça limpa, sem óleo, brilhantina ou laquê. Se o exame tiver de ser registrado durante o sono, é aconselhável que, na noite anterior, durma menos do que o habitual.

 

Artefatos

Durante a obtenção dos traçados, o registro eletroencefalográfico é freqüentemente perturbado pela presença de artefatos, isto é, potenciais de origem extra-encefálica, que podem dificultar ou mesmo impedir a interpretação do gráfico. Uma boa técnica de exame deve reduzi-los ao mínimo possível.

Os artefatos são devidos a diferentes causas: cabelos sujos ou muito oleosos, movimentos oculares exagerados, sudorese, eletrocardiograma — eletrodo situado sobre uma artéria, por exemplo  — instrumental (mau contato de eletrodos), fatores externos (ruídos em geral provocados por alguns aparelhos elétricos, como, por exemplo, telefones).

 

Eletrocortigografia

Em casos especiais, são utilizadas técnicas diferentes. Assim, a eletrocorticografia consiste no registro de atividade elétrica captada por eletrodos em contato direto com o córtex. Exige o emprego de eletrodos especiais, é praticada em sala cirúrgica, e a distribuição dos eletrodos sobre o córtex é processada pelo neurocirurgião, que se mantém em constante comunicação com o eletroencefalografista. O traçado obtido é o eletrocorticograma, e seu valor resulta do fato de que permite localização mais precisa de focos epileptógenos, facultando assim a delimitação da área que deverá ser retirada no tratamento cirúrgico das epilepsias.

 

Eletrodos especiais

Além dos eletrodos usados habitualmente, podem ser utilizados, em certos casos, eletrodos faríngeos, esfenoidais e timpânicos. Destinam-se à investigação da atividade elétrica da base do cérebro e dos lobos temporais particularmente.

Métodos de ativação

São provas com a intenção de evidenciar anormalidades que não se manifestem espontaneamente durante o registro em repouso.

 

Reação de parada

A abertura e o fechamento dos olhos pode desencadear anormalidades no traçado, sobretudo em se tratando de um indivíduo epiléptico. Como resposta normal observa-se atenuação (ou desaparecimento) do ritmo alfa occipital.

 

Hiperpnéia

 

No adulto pode haver uma ligeira lentificação (desde que simétrica e difusa) do registro.

Estimulação fótica intermitente (FEI)

Na maioria dos indivíduos, a FEI não provoca troca alguma no registro de base, estando ou não o paciente de olhos abertos. Em outros, produz-se nas derivação occipitais um potencial eletropositivo com a mesma freqüência com que o estroboscópio envia seus estímulos luminosos. Isto é conhecido como efeito driving. Além deste fenômeno, existe outra resposta igualmente fisiológica, conhecida como resposta fotomioclônica. Esta consiste em potenciais musculares que têm a freqüência de estímulo luminoso e que podem ser acompanhados de abalos da cabeça e do pescoço. Uma das características notáveis da resposta fotomioclônica é sua interrupção total com a abertura dos olhos, ou mesmo com a abertura de um só olho, mesmo que o outro continue recebendo os estímulos luminosos.

Para a ativação fótica intermitente utiliza-se um estroboscópio que emite estímulos luminosos branco-azulados variáveis de 1 a 50 por segundo. Cada estímulo dura uma fração de segundo. A lâmpada que envia o estímulo é colocada a uma distância aproximada de 20 cm dos olhos do paciente. Começamos a ativação enviando um estímulo por segundo, durante cinco segundos, tendo o paciente os olhos fechados; cinco segundos com os olhos abertos, e finalmente, outros cinco segundos com os olhos fechados. Logo passamos a dois estímulos por segundo, observando-se o mesmo procedimento e, assim sucessivamente, percorremos toda a gama de impulsos. Pode-se repetir a prova enviando dois estímulos simultâneos ou mais por segundo. O máximo efeito em pacientes suscetíveis é não só a descarga subclínica ao EEG, como também uma convulsão clínica. Cooper e seus colaboradores consideram que se obtém maior efeito se estimularmos subitamente, de uma só vez, com 15 estímulos por segundo, sem aviso prévio.

 

Sono induzido

O sono é induzido normalmente com barbitúrico (seconal, por exemplo) ou com derivado de fenotiazinas. É importante que o sono deva ser superficial, já que ao se aprofundar o sono perdemos todas as possibilidades de se detectar anomalias. Portanto, ao se tomar o registro em sono, devemos, vez por outra, fazê-lo flutuar entre vigília e sono ligeiro, por meio de estímulos.

 

Considerações gerais

Quando o eletroencefalografista “lê” um EEG põe em jogo um processo ordenado e racional, pelo qual chega a uma conclusão final. Toda análise de um EEG começa com o conhecimento de dois fatores, sem os quais a interpretação correta não é possível:  a idade do paciente e o seu estado de consciência.

Logo após, inicia-se a leitura do traçado, observando-se a calibração em cada canal. Com estes dados em mente, inicia-se a análise do registro. Aqui se agregam outros elementos, sem os quais a interpretação acertada não é possível. Assim é o conhecimento das montagens utilizadas. Processados mentalmente todos os passos anteriores, podemos analisar os elementos gráficos do EEG. Nesta segunda etapa, tem-se em conta uma série de fatores relacionados, dos quais surge uma conclusão final. Estes fatores são:

—    relação das freqüências presentes com a idade e o estado de consciência;

—    distribuição topográfica correta dos ritmos cerebrais;

—    possível troca do estado de consciência durante o registro;

—    simetria inter-hemisférica;

—    presença de ondas ou ritmos anormais;

—    presença de ritmos paroxísticos (normais ou anormais).

 

Eletroencelografia normal

O eletroencefalograma normal do adulto, assim como o da criança após os primeiros meses de vida, varia fundamentalmente, segundo se registra, em vigília ou durante o sono.

O eletroencefalograma em adulto normal em vigília ou em repouso (olhos fechados) caracteriza-se pela presença de dois ritmos fundamentais: o alfa, dominante nas áreas posteriores, e o beta, nas áreas anteriores e centrais principalmente.

A característica principal destas atividades é, sem dúvida, o sincronismo e a ritmicidade que apresentam.

 

Coerência inter-hemisférica

Pode-se aceitar uma diferença de voltagem de até 50% menos no hemisfério dominante. Se a diminuição de voltagem é verificada no hemisfério não-dominante, aceita-se com normal uma diferença de apenas 10%. Estas diferenças de voltagem se observam notadamente nas derivações posteriores.

 

Ritmos e ondas normais

Ritmo alfa (8 a 12 ou 13 ciclos por segundo, ou c/s)

Observa-se sobretudo com os olhos fechados. É atenuado ou desaparece com os estímulos, principalmente o visual (reação de parada presente). No adulto normal, a atividade alfa permanece mais ou menos constante, diminuindo com a velhice (alfa 8,0 a 9,0 c/s).  Sua voltagem média encontra-se em torno de 50 microvolts, podendo-se aceitar como normais amplitudes de até 150 a 200 microvolts (sobretudo em crianças). Aceita-se que núcleos talâmicos atuem como reguladores e que promovam a sincronia entre os hemisférios (segundo Jasper). Precisamente agora predomina o conceito de que a atividade elétrica dos dendritos é a base do eletroencefalograma.

A atividade alfa desaparece rapidamente, tão logo o indivíduo entre em sonolência. Durante o sono, está totalmente ausente. A presença do ritmo alfa é um índice de que o paciente se acha desperto e em estado de relaxamento mental. Ao deixarmos o paciente de olhos abertos durante algum tempo, e quando ele já não está prestando atenção ao que olha, o ritmo alfa reaparece, mesmo estando o indivíduo com os olhos abertos. A ausência total de atenuação por ocasião dos olhos abertos constitui anormalidade ou índice de disfunção cerebral.

 

 

Ritmo beta

 

 

É todo ritmo com freqüência acima de 13 c/s. É predominantemente encontrado nas áreas anteriores e centrais. Algumas pessoas o apresentam em todas as regiões cerebrais (EEG de baixa voltagem ou bloqueado). É importante assinalar que os barbitúricos, meprobamato e outros agentes psicofarmacológicos produzem abundância de atividade beta. Outras substâncias tendem a desorganizar o registro, como, por exemplo, chocolate e certos queijos amarelados que contêm tiramina. A difenil-hidantoína em altas doses pode tornar o traçado isoelétrico ou retilíneo.

Ritmo teta

 

Varia de 4 a 7,5 c/s. É encontrado em jovens e crianças, sendo aceito em adultos, desde que em pequenas proporções e sincronicamente dispostos.

 

Ritmo delta

 

Varia de 0,5 a 3,5 c/s. É encontrado em crianças com até cerca de nove anos de idade.

Ritmo mu

 

Varia entre 7 e 11 c/s. É detectável nas áreas centrais e em forma de arco no traçado eletroencefalográfico. É fisiológico, podendo ser uni ou bilateral, e abolido ou atenuado pela contração do membro superior contralateral. Apesar de se assemelhar ao ritmo alfa, é atenuado pela abertura dos olhos. Não tem significado patológico.

Ondas lambda

Se pedirmos ao indivíduo para abrir os olhos e mostrarmos uma imagem complexa (uma foto ou quadro de paisagem, por exemplo), podem aparecer nas áreas occipitais, em certas pessoas, ondas eletropositivas de baixa a mediana voltagem, denominadas ondas lambda. Se trocarmos o objeto a ser olhado, ou se desfocarmos a imagem de um diapositivo, por exemplo, as ondas lambda desaparecem, voltando novamente, tão logo a imagem retorne em boas condições. É, pois, um potencial visual evocado. Em EEGs de baixa voltagem pode haver um fenômeno curioso: off effect.

 

EEG na velhice

 

Embora o EEG do velho sofra uma redução na freqüência correspondente a um índice de deterioração mental, a experiência diária nos mostra que os indivíduos com mais de 80 anos de idade, mas em boa saúde, apresentam traçados impossíveis de diferenciar dos de um indivíduo jovem.. Assim, embora a deterioração intelectual possa ser associada a uma redução alfa, os pacientes idosos que apresentam ritmo alfa similar aos dos adultos jovens manifestam comumente preservação de suas faculdades mentais.

Quanto mais severa for a deterioração, maior número de ondas lentas são observadas.

Ritmos normais do sono

 

Em um mesmo indivíduo, o EEG durante o sono espontâneo ou induzido por hipnótico revela acentuadas diferenças em relação ao obtido durante a vigília. As características do traçado dependem da idade do paciente e da profundidade do sono. Diferentes fases podem ser identificadas, da sonolência ao despertar espontâneo.

As considerações que se seguem dizem respeito apenas às modificações mais importantes que se observam no EEG obtido durante o sono. A transição de vigília para o sono (fase de sonolência) no adulto é acompanhada pelo desaparecimento gradual e progressivo das ondas alfa, que são substituídas por ondas teta irregulares de pequena amplitude. Em crianças com idades entre três e 10 anos, observa-se freqüentemente o aparecimento de surtos de ondas lentas (3 a 4 c/s) de amplitude elevada, generalizadas e muitas vezes acompanhadas por ondas pontiagudas, intercaladas ou superpostas de modo irregular. A semelhança de tais surtos com complexos ponta-onda (de significação patológica definida) pode dificultar a interpretação ou mesmo induzir a erro diagnóstico — “descarga de pseudo pequeno mal”.

Posteriormente, durante o sono leve, evidenciam-se elementos bastante característicos: os fusos (ritmo sigma), limitados às áreas frontocentrais e/ou temporais. Caracterizam-se por ondas compreendidas entre 10 e 14 c/s e se apresentam geralmente em grupos, freqüentemente com aspectos fusiformes. Podem ser identificados precocemente, em geral a partir dos três ou quatro meses de idade. Ocorrem em ambos os hemisférios, embora não obrigatoriamente de maneira simultânea. Sua presença em apenas um dos hemisférios sugere a existência de lesão no outro hemisfério.

Durante o sono mais profundo, a atividade elétrica é representada principalmente por ondas lentas generalizadas, de voltagem elevada. Durante o despertar espontâneo, o traçado apresenta um sentido inverso às modificações observadas desde a sonolência ao sono profundo. De maior interesse para o eletroencefalografista é, entretanto, o despertar provocado por estímulos auditivos ou táteis.

Na criança, traduz-se pelo aparecimento de ondas generalizadas lentas (4 a 5 c/s) de voltagem elevada, que devem ser simétricas (coerência inter-hemisférica).

No adulto, a transcrição  é brusca, resultante de crescimento do ritmo alfa logo após a aplicação de estímulo. Quando de intensidade insuficiente para provocar o despertar, os estímulos determinam geralmente o aparecimento do complexo K, de morfologia variada, consistindo habitualmente em uma onda lenta de amplitude elevada, com ondas rápidas superpostas em sua porção descendente, predominando o vértex.

Sono paradoxal

 

Todas as trocas que descrevemos até agora no EEG se caracterizam pela presença de ritmos lentos. Conseqüentemente, essas etapas são globalmente denominadas sono lento. Durante este sono lento é relativamente fácil despertar o indivíduo. Depois de um período variável, ele  chega em sua variação cíclica e a um estado  de sono em que não há ritmos lentos — fase REM, de Rapid Eyes Movement (Movimento Rápido dos Olhos) —  na qual existe atividade rápida de baixa voltagem,  como pode ser observado nos estados de vigília. Nessa ocasião torna-se muito difícil despertá-lo. Esta parte do sono se denomina fase do sono paradoxal. As etapas na fase REM ocupam aproximadamente 25% do sono noturno no adulto.

Todos os estados indicam uma diferença qualitativa entre o sono paradoxal (rápido) e o sono lento. Sem dúvida, ambos vão unidos, sendo o sono lento,  pré-condição para o sono paradoxal. Se privarmos o homem da espera do sono paradoxal, no período de recuperação subseqüente, o sono lento terá uma duração maior e compensadora. O que indica claramente que esta etapa é necessária para o indivíduo.

 

Fatores que modificam o EEG

 

Muitos são os fatores que podem influir, modificando o EEG normal. Os mais importantes são o estado emocional do paciente e os medicamentos a ele prescritos. Veremos também os fatores que relacionados ao sexo e hemisfério dominante. E também no que diz respeito a certos alimentos (queijos, chocolate).

 

Estado emocional

 

Indivíduos muito apreensivos, tensos no momento do exame, podem mostrar excesso de freqüência rápida de baixa amplitude em todas as áreas cerebrais. Obtém-se assim o traçado de baixa amplitude (plano) sem ritmo alfa.

 

Medicamentos

 

Muitas das inúmeras drogas introduzidas com o avanço da Psicofarmacologia modificam o EEG. No momento do exame, é recomendável conhecer qual ou quais drogas estão sendo administradas ao paciente. Em linhas gerais, os barbitúricos podem produzir excesso de ritmos rápidos. A difenil-hidantoína,  utilizada em altas doses, podem dar origem a um EEG plano. Estudos com eletrodos intracerebrais têm demonstrado que a atividade rápida característica dos barbitúricos é essencialmente cortical.

A suspensão dos mesmos produz um estado de hiperexcitabilidade cortical, que por vezes se evidencia durante a estimulação luminosa intermitente. Muitos laboratórios de EEG aconselham a suspender os medicamentos dois ou três dias antes da tomada do registro. Isto não é aconselhável, pois só o médico assistente está em condições de determinar se o paciente pode ou não interromper o medicamento. Portanto, a suspensão de um barbitúrico pode gerar uma resposta falso-positiva durante a FEI (sacudidas mioclônicas) ou mesmo induzir a crise convulsiva generalizada.

Sexo

As diferenças que podem existir carecem de valor clínico. Assim, por exemplo, o EEG do sexo feminino pode variar em freqüência de acordo com o momento do ciclo menstrual. O ritmo pode estar mais lento (sempre dentro da faixa fisiológica) e reduzir sua voltagem no período pré-menstrual. A atividade teta pode ser mais abundante em mulheres jovens do que em homens da mesma faixa etária.

 

Hemisfério dominante

 

Podemos achar menos amplitude na derivação temporal posterior e occipital do hemisfério dominante, se compararmos à mesma derivação do hemisfério não-dominante.

 

Tipos de alimento

 

Certos tipos de alimento (queijo e chocolate), quando ingeridos em excesso, podem desorganizar, por vezes de maneira intensa, o ritmo normal do EEG.

Genética dos ritmos cerebrais

 

Não é possível compararmos o traçado dos pais com o dos filhos, pelo fato do traçado da criança ser sumamente diferente e apresentar características próprias. No entanto,  podemos comparar o EEG dos pais com o dos filhos adultos. A esse respeito, não há muitas investigações realizadas. Mas Vogel & Gotze puderam demonstrar que o traçado de baixa voltagem (dito plano) se acha geneticamente determinado.

 

Eletroencefalograma anormal

 

Assimetrias

 

Assimetria evidente e persistente entre áreas homólogas constitui sempre anormalidade, quer se manifeste durante a vigília ou durante o sono, e isto em qualquer idade. Durante o sono, a assimetria resulta freqüentemente da presença — em apenas um dos hemisférios — de ritmos rápidos ou de elementos que, no sono normal, se apresentariam bilateralmente, tais como complexos K, atividade sigma, etc.

 

Ritmos paroxísticos

 

São modificações bruscas e temporárias da freqüência (dessincronização) e/ou da amplitude do ritmo fundamental. Têm significado patológico quando se apresentam durante a vigília.

 

Ondas anormais

 

As ondas lentas, isto é, as de freqüência menor que 8 c/s constituem anormalidade quando se apresentam em traçados de adultos durante a vigília. Podem também ter significação patológica em crianças e também durante o sono, dependendo, nesses casos, de sua freqüência e distribuição topográfica. As pontas ou espículas são ondas pontiagudas, de pequena duração (1/12 de segundo) e de amplitude geralmente elevada. As ondas agudas, ou ondas sharp, têm aspecto semelhante aos das pontas, mas possuem maior duração (são pontas mais lentas). Esses vários tipos de ondas anormais podem apresentar-se isoladamente ou em grupos (polipontas), ou ainda associar-se entre si, formando complexos (complexos ponta-onda e poliponta-onda). As alterações que se verificam podem ser divididas, grosso modo, em dois grupos principais:

-     anormalidades do tipo irritativo, tais como pontas, ondas agudas, complexos ponta-onda, etc, geralmente paroxísticas e quase sempre indicativas de manifestações clínicas epileptiformes;

-     aquelas que traduzem sofrimento cerebral determinado por agentes patogênicos de diferentes tipos (neoplasias, traumas cranianos, acidentes vasculares encefálicos), representados pelas ondas teta e delta.

 

Epilepsias

 

De regra, o exame eletroencefalográfico é praticado nos intervalos entre as crises, pois é relativamente raro que o paciente sofra uma crise epiléptica não-provocada durante o exame. A maioria dos traçados é, pois, do tipo interictal.

As anormalidades mais comumente encontradas nos intervalos entre as crises epilépticas são paroxísticas, isto é, temporárias e não contínuas. Consistem em descargas ou surtos de ondas de grande amplitude, de forma e freqüência variáveis, resultantes da sincronização das descargas individuais dos neurônios (hipersincronia).

Localização

As anormalidades podem se classificadas em três grupos principais: bilaterais sincronas, focais corticais e difusas.

Anormalidades bilaterais síncronas – apresentam-se em todas ou em quase todas as áreas cerebrais, com a particularidade de possuírem, em áreas homólogas, características de forma, freqüência e amplitude sensivelmente iguais. O exemplo típico pode ser encontrado nos surtos de complexos ponta-onda que se registram durante as crises de "ausência” do pequeno mal.

Anormalidades focais corticais – limitam-se a uma ou várias áreas cerebrais e indicam a existência de lesões de natureza diversa (cicatrizes meningocorticais, malformações, neoplasias). As anormalidades focais são evidenciadas com maior nitidez quando a lesão se situa na convexidade dos hemisférios cerebrais. Quando possui situação profunda, a identificação do foco torna-se difícil ou mesmo impossível.

Anormalidades difusas – como o nome indica, evidenciam-se nas várias áreas de ambos os hemisférios, podendo predominar nesta ou naquela região ou hemisférios. Diferentemente das disfunções paroxísticas bilaterais sincronas, as anormalidades não se apresentam — em áreas homólogas — com as mesmas características ao mesmo tempo. Em outras palavras, falta a sincronia que caracteriza as descargas provenientes da região centroencefálica. Nas disfunções difusas a anormalidade é contínua, generalizada, irregular, podendo também apresentar surtos bilaterais síncronos  de ondas lentas com voltagem elevada, muitas vezes com pontas intercaladas de modo irregular ou grupos de complexos ponta-onda ou onda aguda-onda lenta. O exemplo típico de disfunção difusa se encontra na chamada hipsarritmia caraterizada por ondas lentas de voltagem elevada, generalizadas, com pontas e ondas intercaladas a intervalos variáveis e com localização também variável.

 

Espículas positivas – 14 e 16 por segundo

 

São pequenos grupos de espículas orientadas para baixo da linha de base (e por isto positivas). Normalmente são encontradas durante o sono, com predomínio nas áreas anteriores e médias. Associam-se à epilepsia diencefálica.

 

Neoplasias

 

As neoplasias são eletricamente inativas. As alterações que se evidenciam como resposta à presença do tumor não se originam, portanto, nas células neoplásicas, mas sim em neurônios ou grupos neuronais na vizinhança ou à distância do tumor (ritmos à distância). As anormalidades encontradas não são específicas. São mais intensas quando o tumor possui crescimento rápido e se localiza nos hemisférios cerebrais próximos à superfície. Os de crescimento lento e de situação profunda, assim como os da fossa posterior, podem não modificar o traçado ou dar origem apenas a alterações pouco evidentes.

 

 

Traumatismos cranioencefálicos

 

Informações úteis ao clínico podem ser fornecidas pela eletroencefalografia, tanto nos traumatismos recentes como nos antigos. Nos recentes, as anormalidades consistem geralmente de ondas lentas focais, lateralizadas ou generalizadas, e o grau das alterações é, grosso modo, proporcional à gravidade do trauma. Um traçado normal, obtido pouco tempo após o traumatismo, é sugestivo de evolução clínica favorável. Na maioria dos casos, a melhora clínica é acompanhada do desaparecimento progressivo das alterações, que podem, entretanto, persistir durante algum tempo após a recuperação clínica. Nos traumas antigos (ocorridos há mais de três meses) o EEG possibilita a identificação de eventuais focos epileptógenos (epilepsia pós-traumática), resultantes de possível formação de cicatrizes.

 

 

Hematomas subdurais

 

São observados por meio de alterações que consistem em ondas lentas focais ou lateralizadas. Outras vezes, há diminuição da freqüência e principalmente da amplitude (depressão) do ritmo alfa manifesto no mesmo lado da lesão, ou, ainda, desorganização desse ritmo, provocada por ondas lentas. Uma depressão acentuada ou moderada pode ser evidenciada, em certos casos, ao nível do hematoma.

 

 

Acidentes vasculares cerebrais

 

A existência de uma região de infarto pode acompanhar-se de alterações eletroencefalográficas representadas por ondas teta e delta, polimorfas, focais ou lateralizadas (assimetria inter-hemisférica). Pode-se observar apenas assimetria entre as áreas occipitais resultantes de diminuição da freqüência ou da amplitude das ondas alfa do mesmo lado da lesão.

Um eletroencefalograma único não permite, por si só, distinção entre neoplasia e outras lesões expansivas, de um lado, e lesões conseqüentes a acidente vascular cerebral, do outro. Exames seriados possibilitam, entretanto, o diagnóstico diferencial, pois as alterações devidas à presença de tumor geralmente intensificam-se progressivamente, o que não ocorre nos casos de lesões resultantes de acidentes vasculares encefálicos, que podem regredir e mesmo desaparecer.

 

 

Infecções e parasitoses encefálicas

 

Nas encefalites e meningoencefalites, as alterações, quando ocorrem, consistem na presença de ondas delta de voltagem elevada. Ondas teta, assim como alterações do tipo epileptógeno, podem ser também encontradas. Geralmente apresentam-se com distribuição irregular e difusa. Quando se observa predomínio muito acentuado de ondas delta em uma área, é provável a presença de um abscesso, que poderá ser confirmada com a tomografia computadorizada.

 

 

Panencefalite esclerosante subaguda

 

É com freqüência encontrado um tipo de anormalidade que, de acordo com a maioria dos autores, é característico deste tipo de enfermidade. Consiste na presença de surtos de ondas hipersíncronas, repetindo-se a intervalos mais ou menos regulares (peridiocidade), e de morfologia praticamente constante para o mesmo paciente, no decorrer do mesmo exame.

 

 

Intoxicações

 

As alterações que se encontram são geralmente generalizadas (difusas). Em alguns casos, como, por exemplo, na intoxicação barbitúrica, o eletroencefalograma permite fornecer dados úteis com relação à provável natureza do tóxico e também quanto à evolução e ao prognóstico. Assim, na fase inicial da intoxicação barbitúrica, o traçado apresenta ondas rápidas, de voltagem média, generalizadas, assumindo com freqüência o aspecto de fusos. Ulteriormente, nos casos graves, as ondas rápidas são substituídas por ondas lentas (delta) de amplitude elevada. Dependendo ainda da gravidade da intoxicação, poderão ser observados trechos de inatividade elétrica. A redução progressiva dos períodos de silêncio elétrico indica bom prognóstico.

 

 

Anoxia cerebral – parada cardíaca

 

Depois de uma parada cardíaca ou cardiorrespiratória, é possível obter-se distintos tipos de EEG que guardam relação com a duração da parada e a severidade do quadro clínico.

Nos casos em que os pacientes saem com aparente êxito da parada cardiorrespiratória, é importante estabelecer as possibilidades de sobrevida e, além disso, as possibilidades de recuperação das funções do Sistema Nervoso Central. Com tal finalidade, utilizamos o esquema de Pampiglione, que caracterizou cinco tipos de eletroencefalogramas. No tipo I o EEG é normal ou levemente desorganizado, o que indica uma boa conservação da função cerebral e um bom prognóstico. No tipo II, o traçado mostra abundância de ondas lentas. Pode haver sobrevida, mas o prognóstico é reservado no que diz respeito à recuperação neurológica. O tipo III caracteriza-se por apresentar estados de descargas permanentes ou complexos paroxismo-supressão, que mostram uma função cerebral seriamente perturbada e um prognóstico ruim, com duvidosa sobrevida. O tipo IV apresenta atividade tipo “alfa” de muito mau prognóstico e sobrevida rara (coma alfa). O tipo V é de um traçado isoelétrico que forma parte do quadrado de morte cerebral.

Para certeza absoluta de que há silêncio eletrocerebral, procedemos à seguinte conduta:

 

-         utilização de pelo menos 12 eletrodos;

 

-         provocação deliberada de artefato em cada eletrodo;

 

-         utilização da CT normal e CT larga;

 

-         utilização de prova de reatividade;

 

-         utilização de amplas distâncias entre eletrodos;

 

-         duração do registro não inferior a 30 minutos;

 

-         repetir-se o estudo 24 horas após.

 

 

Conclusões

 

Como podemos deduzir, as alterações eletroencefalográficas não possuem especifidade com relação ao agente patogênico, pois a mesma resposta pode ser provocada por diferentes lesões. Elas podem revelar a existência de lesões do tipo irritativo ou degenerativo, mas não fornecem informação quanto à natureza do agente causal.

Freqüentemente, os dados fornecidos pelo EEG possibilitam orientar, afastar ou confirmar um diagnóstico em casos nos quais os elementos fornecidos por outros exames complementares e pela clínica não forem suficientemente elucidativos. Não é demais ressaltar que uma valorização justa e uma apresentação correta dos resultados oferecidos pelo EEG só podem ser feitas quando esses resultados são realizados em conjunto com os elementos que um exame clínico minucioso pode proporcionar.

 

Summary

 

The objetive of this study was to call attention to the important method of neurologics psychiatrics diseases diagnostics: the eletroencefalography.

Key words: the basic eletroencefalography.

 

______________________________________
• DR. PAULO ROBERTO SILVEIRA :

Endereço para correspondência:

Av Nossa Senhora de Copaacabana, 427 sala  1205

Tel  021  2549  8282   E – Mail   Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.


Comentários (120)
  • Anônimo
    Muito esclarecedor... :)

    Bom trabalho, continue assim.
  • drpaulosilveira
    avatar
    Ola , obrigado pelo comentario. Paulo
  • stefaniia  - O que é
    Dr.O que significa quando um exame de eletro da o seguinte resultado: discreta desorganização nos ritmos cerebrais.

    obrigada
  • drpaulosilveira
    avatar
    OLA, a conclusao de : discreta desorganização nos ritmos cerebrais, NUM CONTEXTO ELETROENCEFALOGRAFICO E MUITO VAGO, NECESSITO DO LAUDO COMPLETO DO ELETROENCEFALOGRMA.

    PAULO
  • lindaci ramos  - espero respostas obg
  • Viviane
    Dr o que significa quando o resultado de um eletro da: atividade irritativas posteriores e em surtos difusos bilaterais?
    desde já obrigada
  • drpaulosilveira
    avatar
    OLA, ATIVIDADES IRRITATIVAS POSTERIORES E EM SURTOS BILATERAIS, NECESSITANDO DE MAIS DETELHES, ENVIO O ELETRO INTEIRO, POIS SO PARTES PODEM INDUZIR A LEITURA EQUIVOCADA. NECESSITO TAMBEM DO MOTIVO PELO QUAL FOI SOLICITADO O EEG, CASO QUEIRA MAIS PRIVACIDADE ENVIE PELO MEU E-MAIL : drpaulosilveiraemails@yahoo.com.br PAULO
  • Maria das Graças da Silva Rodr
    Eu gostaria de saber o que significa o diagnóstico: Encefalograma de atividade de base desorganizada, feito no meu filho com 5 anos de idade. Se possível mande a resposta pro meu e-mail.Obrigada!
  • drpaulosilveira
    avatar
    NECESSITO QUE ENVIE A RAZAO DA CONSULTA, O QUE SEU FILHO ESTA SENTINDO SOB PONTO DE VISTA NEUROLOGICO, E ME ENVIE O LAUDO COMPLETO DO EEG DO SEU FILHO . SE QUIZER PRIVACIDADE ENVIE PARA O MEU EMAIL: www.drpaulosilveiraemails@yahoo.com.br

    Paulo.
  • Anônimo
    Caro Dr. Paulo,

    Um neurologista encaminhou para realizar eeg digital e deu a seguinte anormalidade no laudo:
    I-frequencia dominante: 8,89hz
    II-Há períodos de sonolência espontanea com atenuação do ritmo alfa e lentificação difusa

    Conclusão:
    Há desorganização da bioeletrogenese de caráter inespecífico: anormal grau I

    O neurologista nem leu o laudo, me perguntou se tive já convulsões e disse que não, perguntei o que é anormal grau I e ele disse que isso não significa nada que pode ser estresse, cansaço ou fome.

    Observação: Fiz o eeg e ressonância magnética para verificar suspeita de tumor. Minha reclamação foi falhas de memórias e concentração que atrapalham meu trabalho. Tenho 30 anos. Bebo as vezes no final de semana e não estava usando álcool por semanas. Não uso drogas. No laudo da ressonancia constava tudo normal.

    Queria entender o intem I e II e a conclusão, já que o meu neurologista ignorou o exame.
  • drpaulosilveira
    avatar
    OLA SUA DUVIDA:

    I-frequencia dominante: 8,89hz
    II-Há períodos de sonolência espontanea com atenuação do ritmo alfa e lentificação difusa
    Conclusão:
    Há desorganização da bioeletrogenese de caráter inespecífico: anormal grau I
    RESPOSTA:

    ESTE ELETROENCENFALOGRAMA NAO ESTA DENTRO DA NORMALIDADE, POIS EXITEM GRAUS DE ANORMALIDADE, I, II , III. NOS ATUALMENTE NÃO GOSTAMOS DESTA NOMENCLATURA POIS TRAZ CONFLITOS PARA OS PACIENTES. O SEU NEUROLOGISTA IGNOROU, MAS DEVERIA TER -LHE DADO ATENÇÃO SOBRE O SEU EXAME.
    A NECESSIDADE DE MEDICAÇÃO FICA POR CONTA DA SUA CLINICA.

    PAULO

  • joao  - oque significa surtos theta-deltadurante todo o ex
    me responda pq estou com duvidas doutor
  • drpaulosilveira
    avatar
    OLA SUA DUVIDA:

    I-frequencia dominante: 8,89hz
    II-Há períodos de sonolência espontanea com atenuação do ritmo alfa e lentificação difusa
    Conclusão:
    Há desorganização da bioeletrogenese de caráter inespecífico: anormal grau I
    RESPOSTA:

    ESTE ELETROENCENFALOGRAMA NAO ESTA DENTRO DA NORMALIDADE, POIS EXITEM GRAUS DE ANORMALIDADE, I, II , III. NOS ATUALMENTE NÃO GOSTAMOS DESTA NOMENCLATURA POIS TRAZ CONFLITOS PARA OS PACIENTES. O SEU NEUROLOGISTA IGNOROU, MAS DEVERIA TER -LHE DADO ATENÇÃO SOBRE O SEU EXAME.
    A NECESSIDADE DE MEDICAÇÃO FICA POR CONTA DA SUA CLINICA.

    PAULO
  • airton
    Dr meu EEG deu - presença de descargas paroxixticas ondas tipo sharplento de projeçao temp esq de peq a moderada amplitudecom difusão para areas adjacentes ipsilaterais - EEG com mapeamento cerebral em vigilia mostrou descargas epiletformes de proj temporal ant a esquerda - Tenhyo 48 anos comerciante e tive uma crise forte onde me machuquei bastante, mas nao sao constantes. Dr, pelo amor de Deus me ajude..11-72337474
  • drpaulosilveira
    avatar
    OLA NAO FIQUE PREOCUPADO, POIS AS ALTERAÇÕES ELETOENCEFALOGRAFICAS SÃO COMPATIVEIS COM A SUA CLINICA. VOCE DEVERA PROCURAR UM MEDICO NEUROLOGISTA . UMA SIMPLES MEDICAÇÃO E O TEU PROBLEMA ESTA RESOLVIDO. POREM O MEDICO PARA LHE MEDICAR PRECIZA LHE EXAMINAR ANTES. PAULO.
  • lauci vieira tuler da silva  - me ajude por favor!!!
    tenho um ruído constante na cabeça já faz 1 ano e 5 meses, fiz um EEC e na conclusão diz o seguinte EEC..COMPUTADORIZADO ANALIZADO ATRAVÉS DO MAPEAMENTO CEREBRAL OBTIDO DURANTE REPOUSO SENSORIAL VÍGIL, ANORMAL DIFUSO E BILATERAL(MODERADA DISFUNÇÃO DE NATUREZA INESPECIFICA). estou tomando RIVOTRIL, ASSERT e VERTIX, MAS EXISTE REMÉDIOS NATURAIS COMO CHÁ OU ESTÁ CERTA A MEDICAÇÃO AH O CIGARRO CAUSA ISSO, POIS EU FUMO. DESDE JÁ OBRIGADO
  • drpaulosilveira
    avatar
    OLA LAUCI, VOCE TEM RAZAO, QUANDO IDENTIFICA O TABAGISMO COMO CAUSA DO SEU TRANSTORNO, VOCE DEVERIA PARAR DE FUMAR. POREM O SEU EEG INDICA QUE NECESSITA ACOMPANHAMENTO MEDICO ESPECIALIZDO COMO UM NEUROLOGISTA.PAULO
  • Júlio  - Pergunta
    Tenho um eletroencefalograma do meu filho e gastaria de saber o que significa a conclusão mas em uma linguagem mais simples de entender.

    Eletroencefalograma realizado sob sono induzido por hidrato de cloral apresentando ritmos de base desorganizados, assincronos e com escassa formação de fusos, porém não ocorrem assimetrias. Alterações paroxísticas,multifocais de moderada intensidade ocorrem em ambos os hemisférios sem predominio regional nítido e sem generalizações.
  • drpaulosilveira
    avatar
    Tenho um eletroencefalograma do meu filho e gastaria de saber o que significa a conclusão mas em uma linguagem mais simples de entender.

    Eletroencefalograma realizado sob sono induzido por hidrato de cloral apresentando ritmos de base desorganizados, assincronos e com escassa formação de fusos, porém não ocorrem assimetrias. Alterações paroxísticas,multifocais de moderada intensidade ocorrem em ambos os hemisférios sem predominio regional nítido e sem generalizações.

    OLA O EEG DE SEU FILHO E COMPATIVEL COM UM EEG DE SONO INDUZIDO, COM ALTERACOES PAROXISTICAS MULTIFOCAIS DE MODERADA INTENSIDADE OU SEJA NECESSITA ACOMPANHAMENTO COM UM MEDICO NEUROLOGISTA UMA VEZ A CLINICA SER SEBERANA, SOMOS MEDICOS DE GENTE E NAO DE EXAMES.

    PAULO
  • Liliane  - EEc
    Meu filho teve 3 crises convulsivas pós febre e a médica pediu um EEC e o resultado foi: Os achados são compativeis com atividades epileptiformes Bifrontal e desorganização difusa da atividade elétrica celebral. Gostaria de saber o que significa, se puder me manda a resposta tambem no meu e-mail eu agradeço.
  • drpaulosilveira
    avatar
    Meu filho teve 3 crises convulsivas pós febre e a médica pediu um EEC e o resultado foi: Os achados são compativeis com atividades epileptiformes Bifrontal e desorganização difusa da atividade elétrica celebral. Gostaria de saber o que significa, se puder me manda a resposta tambem no meu e-mail eu agradeço.

    OLA LILIANE

    O SEU FILHO TEVE CONFIRMADO PELO TRAÇADO ELENTROENCEFALOGRAFICO O QUADRO CONVULSIVO DIAGNOSTICADO, NOS CASOS DE FEBRE, O NEUROLOGISTA MANTEM CONDUTA EXPECTANTE. OU SEJA O NEGOCIO E NÃO DEIXAR O PACIENTE FICAR COM FEBRIL.

    PAULO
  • luciene pimenta  - eletroencefalograma
    minha filha realizou um encefalograma com mapeamento cerebral. conclusão do exame : anormal grau I. A realização do exame foi pela mesma apresentar sintomas como tremores de menbros ao dormir, distração e pouca concentração na escola quero saber o que significa- anormal para grau I. Agurdo resposta.
  • drpaulosilveira
    avatar
    minha filha realizou um encefalograma com mapeamento cerebral. conclusão do exame : anormal grau I. A realização do exame foi pela mesma apresentar sintomas como tremores de menbros ao dormir, distração e pouca concentração na escola quero saber o que significa- anormal para grau I. Agurdo resposta.

    OLA, ANORMAL DE GRAU I , ESTA NUMA GRADUACAO DE ANORMALIDADES ELETROENCEFALOGRAFICAS DE 1 A 4. VOCE DEVERA LEVAR SUA FILHA PARA TRATAMENTO COM MEDICO NEUROLOGISTA.

    PAULO
  • Profª. Eloni  - esclarecimento
    Olá DR. meu aluno da Sala Multifuncional da Rede do Estado,em seu exame diz:..evidencia presença de atividade irritativa cerebral, paroxismos de ondas agudas de projeção difusa e bilateral. Em resumo, isso pode resulta em problemas de aprendizagem?.O T.M.C tem 9 anos.
  • drpaulosilveira
    avatar
    Olá DR. meu aluno da Sala Multifuncional da Rede do Estado,em seu exame diz:..evidencia presença de atividade irritativa cerebral, paroxismos de ondas agudas de projeção difusa e bilateral. Em resumo, isso pode resulta em problemas de aprendizagem?.O T.M.C tem 9 anos.

    OLA O EEG DO ALUNO EM TELA E ANORMAL, QUE RESULTA NAS DIFICULDADES APRESENTADAS, NECESSITA DE ACOMPANHAMENTO COM MEDICO NEUROLOGISTA.

    PAULO
  • Karina  - EEG anormal - criança
    Olá Dr,

    Sou mãe de um menino de 2 anos e 10 meses que não desenvolveu a fala e por não conseguir prestar atenção e ter interesse nas coisas, o levei a uma neurologista q solicitou uma bateria de exames onde todos resultados deram normais com exceção do EEG que já foi realizado 2 vezes. Na 1ª vez saiu desorganização difusa dos ritmos de base e na 2ª vez saiu discreta desorganização dos ritmos de base. Estou aflita, pois a neuro não consegue fechar o diagnostico e inclusive meu filho está passando com uma fono q tb ainda não fechou um diagnostico, como tudo isso já faz 8 meses q vivo angustiada, gostaria de uma 2ª opinião.
    Grata, Karina
  • drpaulosilveira
    avatar
    Olá Dr,

    Sou mãe de um menino de 2 anos e 10 meses que não desenvolveu a fala e por não conseguir prestar atenção e ter interesse nas coisas, o levei a uma neurologista q solicitou uma bateria de exames onde todos resultados deram normais com exceção do EEG que já foi realizado 2 vezes. Na 1ª vez saiu desorganização difusa dos ritmos de base e na 2ª vez saiu discreta desorganização dos ritmos de base. Estou aflita, pois a neuro não consegue fechar o diagnostico e inclusive meu filho está passando com uma fono q tb ainda não fechou um diagnostico, como tudo isso já faz 8 meses q vivo angustiada, gostaria de uma 2ª opinião.
    Grata, Karina

    OLA KARINA, NAO PERCA A ESPERANCA, POIS SEU FILHO TEM APENAS DOIS ANOS E DEZ MESES, AINDO COM CEREBRO EM FORMACAO . OS EEG NESSA IDADE SAO INCLUSIVOS, SENDO A CLINICA SOBERANA, CONTINUE A FAZER TRATAMENTO COM MEDICO NEUROLOGISTA.
    PAULO
  • Mabel Ceotto  - Diagnóstico de EEG
    Olá!

    Fiz um EEG que deu o seguinte resultado:
    EEG digital de baixa microvoltagem não esterioriza potenciais anômalos - traçado inespecífico associado com frequência com transtornos ansiosos ou depressivos.

    Isso pode dizer que eu estou com depressão?

    Obrigada
  • drpaulosilveira
    avatar
    Olá!

    Fiz um EEG que deu o seguinte resultado:
    EEG digital de baixa microvoltagem não esterioriza potenciais anômalos - traçado inespecífico associado com frequência com transtornos ansiosos ou depressiva
    Isso pode dizer que eu estou com depressão?

    Obrigada

    OLA MABEL, A CLINICA SEMPRE SERA SOBERANA AOS EXAMES. O SEU EEG MOSTRA QUE NAO EXISTEM POTENCIAIS EPILETICOS. O DIAGNOSTICO DE DEPRESSAO SERIA EFETUADO POR EXAME COM UM MEDICO PSIQUIATRA.POREM O EEG PODE ASSOCIAR AO DIAGNOSTICO DE DEPRESSAO APOS O SURGIMENTO DO TRANSTORNOS. VEJA O MEU ARGIGO SOBRE DEPRESSAO NO ICONE PSIQUIATRIA DO SITE WWW.DRPAULOSILVEIRA.COM.BR

    PAULO
  • Amadeu Rafael
    Olá... Dr.
    Sou pai de um rapaz com uma malformação congenita Polimicrogiria esquerda nas zonas perirrolandia e perecilviana no estudo para a primeira intervenção cirurgica fez uma PET entre outros examaes claro na PET não se detectou tecido cerebral MORTO no entanto na intervenção foi detectado uma parte de tecido MORTO que foi retirado.
    A minha pergunta é a seguinte.
    Porque não foi detectado esse tecido MORTO? Porque tanto quanto sei a PET resista a quantidade de consumo de glicose pelos neuronios e neste caso se está morto não consome.
    Obrigado
  • drpaulosilveira
    avatar
    Olá... Dr.
    Sou pai de um rapaz com uma malformação congenita Polimicrogiria esquerda nas zonas perirrolandia e perecilviana no estudo para a primeira intervenção cirurgica fez uma PET entre outros examaes claro na PET não se detectou tecido cerebral MORTO no entanto na intervenção foi detectado uma parte de tecido MORTO que foi retirado.
    A minha pergunta é a seguinte.
    Porque não foi detectado esse tecido MORTO? Porque tanto quanto sei a PET resista a quantidade de consumo de glicose pelos neuronios e neste caso se está morto não consome.
    Obrigado

    OLA AMADEU:

    O PET NAO DETECTA PEQUENOS VOLUMES, UMA VEZ QUE O VOLUME DE TECIDO PEQUINO QUE TENHA HIPOMETABOLISMO DE GLICOSE QUE POSSA SER DETECTADO AO EXAME. POREM NO CAMPO CIRURGICO , COM USO DE MICROSCOPICO A CONVERSA E DIFERENTE.

    PAULO.
  • Edite
    dr meu pai de 71 anos sofreu um desmaio( durou menos de 1 minuto) e o medico passou um eeg pra ele fazer
    o laudo deu isso
    -ritmo base regular e simetrico, sem paroxismos, nota-se alguns artefatos durante o traejeto
    -bloquieo visual há boa atuação dos ritmos posteriores
    Conclusão
    -eeg em vigilia demonstra atividade rapida generalizada

    o medico disse q pode ser um tumor e procurar um neuro.
    vc tem a mesma opnião?
  • drpaulosilveira
    avatar
    dr meu pai de 71 anos sofreu um desmaio( durou menos de 1 minuto) e o medico passou um eeg pra ele fazer
    o laudo deu isso
    -ritmo base regular e simetrico, sem paroxismos, nota-se alguns artefatos durante o traejeto
    -bloquieo visual há boa atuação dos ritmos posteriores
    Conclusão
    -eeg em vigilia demonstra atividade rapida generalizada

    o medico disse q pode ser um tumor e procurar um neuro.
    vc tem a mesma opnião?


    OLA EDITE SEU PAI NECESSITA EFETUAR ALEM O EEG UMA RESSONANCIA MAGNETICA DO CRANIO OU UMA TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA DO CRANIO.
    O DIAGNOSTICO DE TUMOR CEREBRAL SO DEVE SER EFETUADO APOS TER A SUSPEITA ELETROENCEFALOGRAFICA CONFIRMADO COM UM EXAME IMAGEOGRAFICO OU SEJA UMA RESSONANCIA MAGNETICA DO CRANIO, OU UMA TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA DO CRANIO.

    PAULO.
  • Amadeu Rafael
    Olá Dr. Paulo Silveira
    Muito obrigado pelo exclacimento o Porquê de ter falhado em parte o PET feito ao meu filho pode acreditar Dr. que eu fiz a mesma pergunta a muitos médicos aqui na Peninsula Iberica no Porto em Lisboa, Badajoz,Toledo, Madrid, Barcelona e nenhum me respondeu... com a sua resposta fiquei tranquilo com esse tema que tinha na minha cabeça desde 2003.
    Quero tambem agradecer este artigo COMO ENTENDER O ELECTROENCEFALOGRAMA como já deve ter compreendido com o intuito de ajudar o meu filho já li kilometros de papel e posso dizer ao Dr. Paulo que sobre o electroencefalograma nunca tinha lido nada que se aproxime ao que o Dr. teve a amabilidade e com uma liguagem o mais simples possivel escreveu para nós pais aflitos querendo aprender.
    Sobre o electrencefalograma se antes tinha alguma duvida hoje jã não a tenho bem HAJA Dr. Paulo Silveira.
    (Dr. se um dia vem ao Porto porque sei que tem recordações desta cidade não passe sem me avizar pois terei o maior prazer em lhe apertar a mão)
    Obrigado
  • drpaulosilveira
    avatar
    OLA AMADEU, QUANDO EU FOR AO PORTO, EU LHE COMUNICO, PARA QUE A GENTE POSSA NAO SO APERTAR AS MAOS, COMO VOCE ME MOSTRAR AS MARAVILHAS DA CIDADE INVICTA.

    PAULO
  • ANA  - Laudo do mapeamento cerebral: Moderada disfunção l
    Olá, Dr. Paulo

    Gostaria de obter uma informação. Sou estudante de Fonoaudiologia e na clínica modelo apareceu um paciente de 6 anos, do sexom masculino a princípio com queixa de não conseguir articular, produzir o R vibrando (ex. praia), ele omite, as vezes troca também. Mas a questão que a mãe disse que ele usa o remédio Tegretol e que na bateria de exames que foi solicitado o eletro deu o seguinte resultado :
    [b]Laudo do mapeamento cerebral: Moderada disfunção lenta, inespecífica em região temporal.[/b]


    O que seria isso ?:
    o que isso poderá afetar o aprendizado dessa criança ?

    Att.

    Ana Carla
  • drpaulosilveira
    avatar
    Olá, Dr. Paulo

    Gostaria de obter uma informação. Sou estudante de Fonoaudiologia e na clínica modelo apareceu um paciente de 6 anos, do sexom masculino a princípio com queixa de não conseguir articular, produzir o R vibrando (ex. praia), ele omite, as vezes troca também. Mas a questão que a mãe disse que ele usa o remédio Tegretol e que na bateria de exames que foi solicitado o eletro deu o seguinte resultado :
    Laudo do mapeamento cerebral: Moderada disfunção lenta, inespecífica em região temporal.[/b][/color][/size]


    O que seria isso ?:
    o que isso poderá afetar o aprendizado dessa criança ?

    RESPOSTA:

    OLA ANA, ESTA CRIANÇA NECESSITA SER AVALIADA POR UM MEDICO NEUROLOGISTA INFANTIL, E OU UM PSIQUIATRA INFANTIL, E SER APRESENTADO OU MOSTRADO A ELE O ELETROENCEFALOGRAMA PARA SER ANALIZADO PELO PROFISSIONAL E ENTAO TECER COMENTARIOS PERTINENTES A SUA PERGUNTA. O EEG E APENAS UMA FERRAMENTA QUE AJUDA O MEDICO A FAZER O DIAGNOSTICO, MAS , NADA , SUBISTITUE O EXAME NEUROLOGICO E PSIQUIATRICO CLINICO. MAS ANTECIPANDO SUA CURIOSIDADE E UM EEG ANORMAL TEMPORAL DAI ESTAR SENDO MEDICADO COM CARBAMAZEPINA ( TEGRETOL).

    PAULO

  • maria simone  - eletrocefalograma
    Oi! fiz um eletrocefalograma e o resultado foi: DURANTE O TRAÇADO SURGIRAM SURTOS DE ONDAS PONTEAGUDASBILATERAISSÍNCRONAS. EEG EVIDENCIOU ATIVIDADE IRRITATIVA BILATERAL.
    fiquei preocupada pois nao sei o q significa! pode me tirar essas dúvidas? se é doença? se tem tratamento? se tem possibilidade de ficar boa?
    agradeço demais alguns esclarecimentos.
    aguardo respostas no meu email.
    obrigadoooooo!
  • drpaulosilveira
    avatar
    Oi! fiz um eletrocefalograma e o resultado foi: DURANTE O TRAÇADO SURGIRAM SURTOS DE ONDAS PONTEAGUDASBILATERAISSÍNCRONAS. EEG EVIDENCIOU ATIVIDADE IRRITATIVA BILATERAL.
    fiquei preocupada pois nao sei o q significa! pode me tirar essas dúvidas? se é doença? se tem tratamento? se tem possibilidade de ficar boa?
    agradeço demais alguns esclarecimentos.
    aguardo respostas no meu email.
    obrigadoooooo!

    OLA SIMONE, O RESULTADO DO TEU EEG EVIDENCIA TRAÇADOS ANORMAIS, NECESSITAS SER ACOMPANHAMENTO POR UM MEDICO NEUROLOGISTA.
  • cristiane  - eletro

    Meu filho,tem13 anos e apresenta tiques,como pisca o tempo todo.Fizemos o eletro computadorizado,o resultado: revelando discretas alterações gerais e inespecíficas,por conta de ritmos lentos,teta rápido,disfunsamente distribuidos,bilaterais, mais pronunciados nas áreas posteriores,em proporções excessivas para a faixa etária.
    Ausência de componentes anormais com caracteristicas específicas. D. Paulo,se puder me escreva o que o Senhor achou disto,obrigada.
  • drpaulosilveira
    avatar
    Meu filho,tem13 anos e apresenta tiques,como pisca o tempo todo.Fizemos o eletro computadorizado,o resultado: revelando discretas alterações gerais e inespecíficas,por conta de ritmos lentos,teta rápido,disfunsamente distribuidos,bilaterais, mais pronunciados nas áreas posteriores,em proporções excessivas para a faixa etária.
    Ausência de componentes anormais com caracteristicas específicas. D. Paulo,se puder me escreva o que o Senhor achou disto,obrigada.

    OLA CRISTIANE, O EEG DO SEU FILHO ESTA INESPECFICO , POREM NECESSITA DE ACOMPANHAMENTO DE UM MEDICO NEUROLOGISTA.

    PAULO
  • Marcelle Franco  - Dúvida
    Minha filha realizou uma polissonografia com 42 semanas de vida, durante o periodo que ficou em uma UTI neonatal após o nascimento devido a prematuridade, e o resultado foi: Traçado polissonográfico mostra atividade cerebral "delta brushes" occopitais pobremente representados, adequada diferenciação das fases do ciclo sono vigilia, com predominio da fase de sono ativo e breve periodo de sono quieto, presença de atividade theta não habitual organizada de breves surtos de 1-2 segs, de projeção nas regiões posteriores de ambos hemisférios cerebrais.

    Agradecerai se me esclarecesse ao que se refere, e se com este parecer, refere-se a ondas convulsivas.

    obrigada
  • drpaulosilveira
    avatar
    Minha filha realizou uma polissonografia com 42 semanas de vida, durante o periodo que ficou em uma UTI neonatal após o nascimento devido a prematuridade, e o resultado foi: Traçado polissonográfico mostra atividade cerebral "delta brushes" occipitais pobremente representados, adequada diferenciação das fases do ciclo sono vigilia, com predominio da fase de sono ativo e breve periodo de sono quieto, presença de atividade theta não habitual organizada de breves surtos de 1-2 segs, de projeção nas regiões posteriores de ambos hemisférios cerebrais.

    Agradecerai se me esclarecesse ao que se refere, e se com este parecer, refere-se a ondas convulsivas.

    OLA MARCELLE ESTA POLISSONOGRAFIA E DE UM CEREBRO AINDA EM FORMAÇÃO, IMATURO, NECESSINTANDO DE DEVENDO SER CONSIDERADO O QUADRO CLINICO , OU SEJA A CLINICA E SEMPRE SOBERANA AOS EXAMES.

    PAULO


    OLA MARCELLE
  • GHEAN  - ELETROENCEFALOGRAMA
    Olá Dr. Paulo!

    Eu fiz este exame e o resultado deu exatamente assim:

    EEG DIGITAL de vigília, apresentando LENTIFICAÇÃO DISCRETA DO TRAÇADO SOBRE REGIÃO 02, SENDO REGISTRADO A PRESENÇA DE 16 EVENTOS, o exame necessita de correlação clínica.

    Desde já agradeço e fico no aguardo.
  • drpaulosilveira
    avatar
    Olá Dr. Paulo!

    Eu fiz este exame e o resultado deu exatamente assim:

    EEG DIGITAL de vigília, apresentando LENTIFICAÇÃO DISCRETA DO TRAÇADO SOBRE REGIÃO 02, SENDO REGISTRADO A PRESENÇA DE 16 EVENTOS, o exame necessita de correlação clínica.

    Desde já agradeço e fico no aguardo.

    OLA GEAN, O RESULTADO E O QUE ESTA NO LAUDO, NECESSITA DE CORRELAÇÃO CLIICA, OU SEJA OS SINTOMAS E EXAME CLINICO NEUROLOGICO, SAO SEMPRE SOBERANOS EM RELAÇÃO AOS EXAMES.

    PAULO
  • drpaulosilveira
    avatar
    Olá Dr. Paulo!

    Eu fiz este exame e o resultado deu exatamente assim:

    EEG DIGITAL de vigília, apresentando LENTIFICAÇÃO DISCRETA DO TRAÇADO SOBRE REGIÃO 02, SENDO REGISTRADO A PRESENÇA DE 16 EVENTOS, o exame necessita de correlação clínica.

    Desde já agradeço e fico no aguardo

    OLA GEAN, O EEG E APENAS UM EXAME DIGITAL, NECESSITA DE UM EXAME NEUROLOGICO PREVIO, PARA PODER SER ANALISADO JUNTO COM O EXAME.

    ESTA LENTIFICACAO DISCRETA INDICAR TRANSTORNO OU NAO NECESSITA DA COMPLEMENTACAO DO EXAME MEDICO NEUROLOGICO.
  • Ligia Flores  - CONCLUSÃO EEG COM MAPA
    Caro Dr. Paulo,

    Tenho 49 anos, e um histórico de epilepsia, TAB e minha tomografia apresentou microangiopatia. Venho apresentando também alguns problemas de fala (inversões) e de memória... Fiz um EEG com mapa, que descreveu a seguinte conclusão: "Estudo eletroencefálico revelendo atividade lenta e rápida com distribuição e predomínio temporal anterior no hemisfério esquerdo." Este laudo apenas confirma a epilepsia, ou pode estar relacionado a outros fatores? Certamente voltarei a meu neurologista, porém gostaria de uma opinião sua a respeito.

    Grata
  • drpaulosilveira
    avatar
    Caro Dr. Paulo,

    Tenho 49 anos, e um histórico de epilepsia, TAB e minha tomografia apresentou microangiopatia. Venho apresentando também alguns problemas de fala (inversões) e de memória... Fiz um EEG com mapa, que descreveu a seguinte conclusão: "Estudo eletroencefálico revelendo atividade lenta e rápida com distribuição e predomínio temporal anterior no hemisfério esquerdo." Este laudo apenas confirma a epilepsia, ou pode estar relacionado a outros fatores? Certamente
    voltarei a meu neurologista, porém gostaria de uma opinião sua a respeito .

    OLA LIGIA O TEU EEG CONFIRMA EPILEPSIA TEMPORAL. PROCURE O TEU NEUROLOGISTA. PAULO
  • Jerusa Vieira Martinez
    o resultado do exame de eletroencefalografia da minha sobrinha deu seguinte resultado: " traçado lento difuso, em repouso e na fase de ativação HV". O que significa?
  • drpaulosilveira
    avatar
    o resultado do exame de eletroencefalografia da minha sobrinha deu seguinte resultado: " traçado lento difuso, em repouso e na fase de ativação HV". O que significa?

    OLA JERUSA, O RESULTADO DE QUALQUER ELETROENCEFALOGRAMA, NECESSITA DO ATO MEDICO, OU SEJA O EXAME NEUROLOGICO, E CONSEQUENTEMENTE A ANAMENESE DO PACIENTE. A CLINICA SEMPRE SERA SOBERANA A QUALQUER EXAME.

    PAULO

  • silvia
    DR. MEU FILHO TEM 5 ANOS ESTA COM DIFICULDADE NA FALA FALTA DE ATENÇAO AGITADO
    FEZ UM ELETR. DEU EEG COM ATIVIDADE RAPIDA DIFUSA E FRONTAIS E TEMPORAIS.
    TEM CURA? :?:
  • drpaulosilveira
    avatar
    DR. MEU FILHO TEM 5 ANOS ESTA COM DIFICULDADE NA FALA FALTA DE ATENÇAO AGITADO
    FEZ UM ELETR. DEU EEG COM ATIVIDADE RAPIDA DIFUSA E FRONTAIS E TEMPORAIS.
    TEM CURA?
    OLA SILVIA:

    SIM, TEM CURA, VOCE TERA QUE LEVAR SEU FILHO A UM MEDICO NEUROLOGISTA.

    PAULO
  • Luciana
    Doutor,meu sobrinho de 3 anos fez um eletro,por estar com atraso na fala e na compreensão,a conclusão deu assim:atividades irritativas no lado esquerdo frontal...
    o q q uer dizer??
    OIbrigada
  • drpaulosilveira
    avatar
    Doutor,meu sobrinho de 3 anos fez um eletro,por estar com atraso na fala e na compreensão,a conclusão deu assim:atividades irritativas no lado esquerdo frontal...
    o q q uer dizer??
    OIbrigada

    OLA LUCIANA, SEU SOBRINHO TEM QUE SER TRATADO POR UM MEDICO NEUROLOGISTA. ELE TEM UM ELETROENCEFLAGRAMA A SER ANALIZADO JUNTO COM UM EXAME NEUROLOGICO.

    PAULO
  • valéria borges
    Dr. Paulo
    Sou fono e o neuro me mandou um laudo de paciente de 16 anos dizendo que sugere que o quadro seja sindrome apgar
    Observando que os exames costam :
    []conclusões- correlaçâo eletronica
    O eeg encontra-se; Anormal grau III
    Sinais acentuados de disfunção da bioeletrogênese cerebral de carater específico.
    Pode me ajudar?
    explicando o que significa.
    obrigada
  • drpaulosilveira
    avatar
    Dr. Paulo
    Sou fono e o neuro me mandou um laudo de paciente de 16 anos dizendo que sugere que o quadro seja sindrome apgar
    Observando que os exames costam :
    []conclusões- correlaçâo eletronica
    O eeg encontra-se; Anormal grau III
    Sinais acentuados de disfunção da bioeletrogênese cerebral de carater específico.
    Pode me ajudar?
    explicando o que significa.
    obrigada

    OLA VALERIA TRATA-SE DE UM EEG ANORMAL QUE NECESSITA DE CUIDADOS DE UM MEDICO NEUROLOGISTA.POIS O EEG SOZINHO NADA PODER SER UTILIZADO EM SEPERADO DO EXAME NEUROLOGICO CLINICO.
  • ALEX RODRIGUES  - conclusao do meu exame de eletroencefalografico co
    conclusao do exame mostrando sinais frustos de atividade paroxística com projeçao difusa ... OQUE QUER DIZER ISSO??? :?: :?:
  • drpaulosilveira
    avatar
    conclusao do exame mostrando sinais frustos de atividade paroxística com projeçao difusa ... OQUE QUER DIZER ISSO??? :?: :?:

    OLA ALEX O EEG SOZINHO NAO TEM NENHUM FUNDAMENTO CLINICO, NECESSITA DA AVALIACAO DO NEUROLOGISTA ATRAVEZ DO EXAME NEURLOGICO COMPLETO.
  • Luciana  - Convulsão
    Dr Paulo, tenho 29 anos e em 2001 sofri um acidente de biciclete em que fiquei desacordada por tempo indeterminado. em 2004 tive uma convulsão e não fiz tratamento algum pois me sentia muito bem. dia 22/08/10 tive outra convulsão, fiz um mapeamento logo depois que deu uma alteração (ondas lentas na região temporal média direita), só que quando eu fiz eu estava vendo uns flashs que foram diminuindo e em uma semana minha visão voltou ao normal. Meu medico indicou carbamazepina (que eu não tomei). No mês que vem vou fazer uma ressonancia. O que o senhor pensa a respeito dessas duas unicas convulções em 29 anos.
  • drpaulosilveira
    avatar
    Dr Paulo, tenho 29 anos e em 2001 sofri um acidente de biciclete em que fiquei desacordada por tempo indeterminado. em 2004 tive uma convulsão e não fiz tratamento algum pois me sentia muito bem. dia 22/08/10 tive outra convulsão, fiz um mapeamento logo depois que deu uma alteração (ondas lentas na região temporal média direita), só que quando eu fiz eu estava vendo uns flashs que foram diminuindo e em uma semana minha visão voltou ao normal. Meu medico indicou carbamazepina (que eu não tomei). No mês que vem vou fazer uma ressonancia. O que o senhor pensa a respeito dessas duas unicas convulções em 29 anos.

    OLA LUCIANA, AO SOFRER O ACIDENTE DE BICICLETA EM 2001 VOCE TEVE UM TCE OU SEJA UM TRAUMATISMO CRANEANO QUE A DEIXOU DESACORDADO POR UM BOM TEMPO, ISTO DEIXOU-LHE UM SINAL, UMA CICATRIZ NO CEREBRO QUE A FAZ TER CRISES CONVULSIVAS, IDENTIFICADAS PELO ELETROENCEFALOGRAMA, O SEU MEDICO LHE PRESCREVEU UM ANTIEPILETICO QUE IRA EVITAR SUAS CRISES, EU SE FOSSE VOCE, TOMARIA O REMEDIO. TER CRISES MILHARES DE NEURONIOS SERAO DESTRUIDOS QUE VOCE SO SENTIRA FALTA NA SUA VELHICE, E MINHA AMIGA A VIDA E UM BANCO. QUEM POUPA SEUS NEURONIOS OS TERA NA VELHICE.

    PAULO
  • Ana  - Interpretação de EEG
    Fiz um EEG com ELI com a seguinte conclusão:
    Traçado de vigilia e sonolencia revelando actividade lenta, com certo caracter irritativo, em rojecção temporal esquerda. electrogenese de base mantida. O q significa? Obrigado
  • drpaulosilveira
    avatar
    Fiz um EEG com ELI com a seguinte conclusão:
    Traçado de vigilia e sonolencia revelando actividade lenta, com certo caracter irritativo, em rojecção temporal esquerda. electrogenese de base mantida. O q significa? Obrigado
    ANA O EEG SOZINHO NADA TEM VALOR, NECESSITA DE UMA CORRELACAO COM UM EXAME NEUROLOGICO PREVIO. CONSULTE A UM NEUROLOGISTAS.
  • Ana Cristina Correa
    Doutor Paulo, meu neto tem 8 anos e fez um EEG quantitativo e mapeamento da atividade eletrocerebral. Foi a seguinte conclusão: anormal generalizado grau II. Ritmo lento (7 a 9Hz) predominante. Ondas difusas de 3 a 6 Hz. Meu neto´fala direitinho e está no colégio, mas é muito desligado e custa a aprender. Será que o senhor pode me diazer se esta conclusão é grave?
    Grata.
    Ana
  • drpaulosilveira
    avatar
    Doutor Paulo, meu neto tem 8 anos e fez um EEG quantitativo e mapeamento da atividade eletrocerebral. Foi a seguinte conclusão: anormal generalizado grau II. Ritmo lento (7 a 9Hz) predominante. Ondas difusas de 3 a 6 Hz. Meu neto´fala direitinho e está no colégio, mas é muito desligado e custa a aprender. Será que o senhor pode me diazer se esta conclusão é grave?
    Grata.
    Ana

    Leia o texto original: http://www.cantodoescritor.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1373:como-entender-o-eletroencefalograma-simples-e-e-g&catid=108:pergunte-ao-dr-paulo-silveira&Itemid=127#ixzz13K0wM

    OLA ANA, SEU NETO NAO TEM NADA DE GRAVE, ELE NECESSITA DE ACOMPANHAMENTO DE UM MEDICO NEUROLOGISTA QUE IRA EXAMINA-LO PRIMEIRAMENTE E DEPOIS ANALISAR A HISTORIA PREGRESSA E EM SEGUIDA O EEG COM MAPA CEREBRAL;PARA ENTAO SE CASO NECESSITE SOLICITAR UM EXAME NEUROPSICOLOGICO. PAULO.

    PAULO
  • Rui Rodrigues  - EEG - Interpertação de resultados
    Boa tarde Dr.Paulo
    Minha mãe tem 55 anos e fez recentemente um EEG, sendo o relatório o seguinte: Electrogénese de base ligeira a moderadamente lenta (cerca de 6Hz), da qual se salienta actividade de ondas mais lentas (delta) temporais, bilateralmente, com perdomínio no hemisfério esquerdo.
    O que siginfica Dr.?
    Cumprimentos Rui
  • drpaulosilveira
    avatar
    oa tarde Dr.Paulo
    Minha mãe tem 55 anos e fez recentemente um EEG, sendo o relatório o seguinte: Electrogénese de base ligeira a moderadamente lenta (cerca de 6Hz), da qual se salienta actividade de ondas mais lentas (delta) temporais, bilateralmente, com perdomínio no hemisfério esquerdo.
    O que siginfica Dr.?
    Cumprimentos Rui

    Leia o texto original: http://www.cantodoescritor.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1373:como-entender-o-eletroencefalograma-simples-e-e-g&catid=108:pergunte-ao-dr-paulo-silveira&Itemid=127#josc19984#ixzz13K1vaytg


    OLA RUI, SUA MAE NECESSITA DE SER ACOMPANHADA POR UM MEDICO NEUROLOGISTA, QUE APOS EXAMINA-LA VERA SE NECESSITA DE ALGUNS EXAMES COMPLEMENTARES COMO UMA RESSONANCIA MAGNETICA DE CRANIO COM ESPECTROSCOPIA DE PROTONS DE HIDROGENIO E UMA CINTILIGRAFIA COM SPECT. O EEG SOZINHO NADA DIZ, MAS A CLINICA SEMPRE SERA SOBERANA. PAULO
  • Katia Silva  - Resultado EEG preocupante
    Dr Paulo, li algumas postagens, mas como não há o resultado similar, lhe pergunto, por gentileza, sobre o resultado de meu EEG, já que a consulta com o Cardiologista que o pediu somente será daqui a duas semanas. Estou preocupada.

    EEG digital de vigília e sonolência anormal generalizado pela presença de ondas lentas, ondas agudas e paroxismos de complexos ponta-onda, degradados, difusos, com predominância no hemisfério esquerdo, de sugestiva especificidade.
  • drpaulosilveira
    avatar
    Dr Paulo, li algumas postagens, mas como não há o resultado similar, lhe pergunto, por gentileza, sobre o resultado de meu EEG, já que a consulta com o Cardiologista que o pediu somente será daqui a duas semanas. Estou preocupada.

    EEG digital de vigília e sonolência anormal generalizado pela presença de ondas lentas, ondas agudas e paroxismos de complexos ponta-onda, degradados, difusos, com predominância no hemisfério esquerdo, de sugestiva especificidade

    Leia o texto original: http://www.cantodoescritor.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1373:como-entender-o-eletroencefalograma-simples-e-e-g&catid=108:pergunte-ao-dr-paulo-silveira&Itemid=127#josc19985#ixzz13K2lfD

    OLA KATIA SILVA, O SEU CARDIOLOGISTA AO LER O RESULTADO O EEG, PROVAVELMENTE A ENCAMINHARA A UM MEDICO NEUROLOGISTA PARA LHE FAZER UM EXAME NEUROLOGICO E SOMENTE ASSIM FAZER A ANALISE DO EEG EM TELA. CARDIOLOGISTA ENTENDE DE ELETROCARDIOGRMA, NEUROLOGISTA E QUE O MEDICO PARA ANALISAR O EEG,O SEU PRECISA DESTE PROFISSIONAL.PAULO
  • Cláudia Sillmann
    Dr. Paulo, Um funcionário de minha empresa fez uma eletroencefalografia, tendo esta como conclusão (Discreto distúrbio da atividade cerebral em projeção frontal à esquerda). O retorno agendado para ele é somente em Dezembro porém ele está preocupado com este resultado. Gostaria de saber se ele tem urgência em retornar ao médico ou se ele pode aguardar até Dezembro. E mais um comentário ele é fumante. Obrigada Cláudia.
  • drpaulosilveira
    avatar
    Dr. Paulo, Um funcionário de minha empresa fez uma eletroencefalografia, tendo esta como conclusão (Discreto distúrbio da atividade cerebral em projeção frontal à esquerda). O retorno agendado para ele é somente em Dezembro porém ele está preocupado com este resultado. Gostaria de saber se ele tem urgência em retornar ao médico ou se ele pode aguardar até Dezembro. E mais um comentário ele é fumante. Obrigada Cláudia.

    Leia o texto original: http://www.cantodoescritor.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1373:como-entender-o-eletroencefalograma-simples-e-e-g&catid=108:pergunte-ao-dr-paulo-silveira&Itemid=127#josc19986#ixzz13K3YB8

    OLA CLAUDIA, O SEU FUNCIONARIO, DEVERIA IDEPENDETEMENTE DO RESULTADO DO EEG, PARAR DE FUMAR, POIS O CIGARRO ALEM DE DOENCAS DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL E PERIFFERICO TAMBEM LEVA A DOENCAS DO APARELHO DIGESTIVO, RESPIRATORIO E CARDIORESPERITORIO E OUTROS . O EEG PODE ESPERAR A CONSULTA , MAS PARAR DE FUMAR E MUITO IMPORTANTE.PARA O BEM DELE, DA FAMILIA E DA EMPREZA. PAULO
  • João Paulo do Nascimento Negre  - EEG
    Dr. Paulo minha esposa recebeu um resultado de EEG
    que diz na conclusão: "EEG revela atividade irritativa generalizada" pra ser sincero estou um pouco preocupado, por favor explique-me o que isso quer dizer! desde já agradeço.
  • drpaulosilveira
    avatar
    Dr. Paulo minha esposa recebeu um resultado de EEG
    que diz na conclusão: "EEG revela atividade irritativa generalizada" pra ser sincero estou um pouco preocupado, por favor explique-me o que isso quer dizer! desde já agradeço.

    Leia o texto original: http://www.cantodoescritor.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1373:como-entender-o-eletroencefalograma-simples-e-e-g&catid=108:pergunte-ao-dr-paulo-silveira&Itemid=127#josc19987#ixzz13K4m0L


    OLA JOAO PAULO, O EEG SOZINHO NADA REPRESENTA, NECESSITA DE SER ANALIZADO POR UM MEDICO NEUROLOGISTA , QUE FARIA MINUCIOSA AVALIACAO NEUROLOGICA E CLINICA E JUNTO COM O EEG TRACAR UM PROCEDIMENTO DIAGNOSTICO. PAULO

  • Ana Claudia Anastácio  - Bebezinha de 3 meses
    Minha bebe, foi internada na UTI neo-natal com 7 dias de vida com um estorico de kernicterus de 55mg/dl e apresentava um quadro convulsivo e comprometimento profundo na audição. Ficou internada por 13 dias. E desde então toma fenobarbital 22 gotas todos as noite. Recentemente o neuro passou EEG e mapa celebral, que deu o seguinte diagnóstico:
    Conclusão Eletrográfica: Mapeamento da atividade eletrica celebral de sono espontâneo anormal focal nas regiões temporal e parietal esquerda. Pontas isoladas, nas regiões temporal e parietal esquerda.
    Conclusão Eletroclínica: Discretos sinais de disfunção cortical de caráter especifico nas regiões temporal e parietal esquerda.

    Dr. o que significa de fato. A Bebê poderá ter que tipo de problemas?
  • drpaulosilveira
    avatar
    Minha bebe, foi internada na UTI neo-natal com 7 dias de vida com um estorico de kernicterus de 55mg/dl e apresentava um quadro convulsivo e comprometimento profundo na audição. Ficou internada por 13 dias. E desde então toma fenobarbital 22 gotas todos as noite. Recentemente o neuro passou EEG e mapa celebral, que deu o seguinte diagnóstico:
    Conclusão Eletrográfica: Mapeamento da atividade eletrica celebral de sono espontâneo anormal focal nas regiões temporal e parietal esquerda. Pontas isoladas, nas regiões temporal e parietal esquerda.
    Conclusão Eletroclínica: Discretos sinais de disfunção cortical de caráter especifico nas regiões temporal e parietal esquerda.

    Dr. o que significa de fato. A Bebê poderá ter que tipo de problemas?

    Leia o texto original: http://www.cantodoescritor.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1373:como-entender-o-eletroencefalograma-simples-e-e-g&catid=108:pergunte-ao-dr-paulo-silveira&Itemid=127#josc19988#ixzz13K5fLwLZ


    OLA ANA, SEU BEBEZINHO IRA SURPREENDE-LA, POIS APESAR DE TODOS O PROBLEMAS ACIMA RELATADO, O CEREBRO DE UM RECEM NASCIDO TEM NOS SURPEENDIDO COM RECUPERACAO TOTAL , INCLUSIVE SEM SEQUELAS. VOCE TERA QUE TER MAIS PACIENCIA E NUNCA SE ESQUECER DAS ORACOES, POIS , PODES CRER O MILAGRE EXISTE. PAULO
  • Alessandra  - EEC
    Doutor, o que significa o seguinte resultado de EEG:
    ELETROENCEFALOGRAMA DE VIGÍLIA COM ACHADOS INESPECÍFICOS, CARACTERIZADOS POR ATIVIDADE LENTA INTERMITENTE DESENCADEADA PELA HIPERVENTILAÇÃO.
    Obrigada.
  • drpaulosilveira
    avatar
    Doutor, o que significa o seguinte resultado de EEG:
    ELETROENCEFALOGRAMA DE VIGÍLIA COM ACHADOS INESPECÍFICOS, CARACTERIZADOS POR ATIVIDADE LENTA INTERMITENTE DESENCADEADA PELA HIPERVENTILAÇÃO.
    Obrigada.

    Leia o texto original: http://www.cantodoescritor.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1373:como-entender-o-eletroencefalograma-simples-e-e-g&catid=108:pergunte-ao-dr-paulo-silveira&Itemid=127#josc19989#ixzz13K6aoh


    OLA ALESSANDRA, E COMO EU COSTUMO REPETIR, UM EEG, SOZINHO, SERA , INESPECIFICO, O NEUROLOGISTA NECESSITA DA AVALIACAO CLINICA NEUROLOGICA ESTA SIM IMPORTANTE PARA SE FAZER UM CORRETO DIAGNOSTICO. A CLINICA SEMPRE SERA SOBERANA AO EXAME. PAULO
  • HELOISA MILENE DE FATIMA  - UMA OPINIÃO DE UM RESULTADO DE UM EXAME DE EEG
    OLA DOUTOR!!
    ESTOU COM UMA DÚVIDA SOBRE UM EXAME DE EEG.
    NO RELATÓRIO ESTÁ ASSIM:RITMO DOMINANTE DE 9 A 10 HZ,DE 20 A 50 MICRO-VOLTS,POSTERIOR,CONTÍNUO,IRRADIANDO-SE PARA AS REGIÕES CENTRAIS,BEM MODULADO EM AMPLITUDE E EM FREQUÊNCIA,SINCRÔNICO,SINUSOIDAL E COMPLEXO.ENCONTRAM-SE EVENTUAIS ONDAS DE 6 A 8 HZ,DE 15 A 45 MICRO-VOLTS,ISOLADAS OU AGRUPADAS,DIFUSAS.NÃO SE OBSERVARAM ASSIMETRIAS PERSISTENTES NEM ATIVIDADE ERRITATIVA.HÁ ATIVIDADE DE 16 A 24 HZ,DE 10 A 25 MICRO-VOLTS,DIFUSA,DE PREDOMINANTE ANTERIOR.NA ATIVIDADE PELA HIPERVENTILAÇÃO PULMANAR(DURANTE 3 MINUTOS)OBSERVA-SE,DESDE O INÍCIO PROVA,UMA DISCRETA LENTIFICAÇÃO DIFUSA DO TRAÇADO.CONCLUSÃO:EEG DE VIGÍLIA DENTRO DOS LIMITES NORMAIS DE VARIAÇÃO.
    COMO AINDA NÃO FUI AO MÉDICO QUERIA SABER O RESULTADO(O SIGNIFICADO)SE É NORMAL.EU TENHO 22 ANOS E NUNCA TIVE NENHUM PROBLEMA,SÓ ESTOU FAZENDO ESTE EXAME PARA UM CONCURSO.
    MUITO OBRIGADA
  • drpaulosilveira
    avatar
    OLA DOUTOR!!
    ESTOU COM UMA DÚVIDA SOBRE UM EXAME DE EEG.
    NO RELATÓRIO ESTÁ ASSIM:RITMO DOMINANTE DE 9 A 10 HZ,DE 20 A 50 MICRO-VOLTS,POSTERIOR,CONTÍNUO,IRRADIANDO-SE PARA AS REGIÕES CENTRAIS,BEM MODULADO EM AMPLITUDE E EM FREQUÊNCIA,SINCRÔNICO,SINUSOIDAL E COMPLEXO.ENCONTRAM-SE EVENTUAIS ONDAS DE 6 A 8 HZ,DE 15 A 45 MICRO-VOLTS,ISOLADAS OU AGRUPADAS,DIFUSAS.NÃO SE OBSERVARAM ASSIMETRIAS PERSISTENTES NEM ATIVIDADE ERRITATIVA.HÁ ATIVIDADE DE 16 A 24 HZ,DE 10 A 25 MICRO-VOLTS,DIFUSA,DE PREDOMINANTE ANTERIOR.NA ATIVIDADE PELA HIPERVENTILAÇÃO PULMANAR(DURANTE 3 MINUTOS)OBSERVA-SE,DESDE O INÍCIO PROVA,UMA DISCRETA LENTIFICAÇÃO DIFUSA DO TRAÇADO.CONCLUSÃO:EEG DE VIGÍLIA DENTRO DOS LIMITES NORMAIS DE VARIAÇÃO.
    COMO AINDA NÃO FUI AO MÉDICO QUERIA SABER O RESULTADO(O SIGNIFICADO)SE É NORMAL.EU TENHO 22 ANOS E NUNCA TIVE NENHUM PROBLEMA,SÓ ESTOU FAZENDO ESTE EXAME PARA UM CONCURSO.
    MUITO OBRIGADA

    Leia o texto original: http://www.cantodoescritor.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1373:como-entender-o-eletroencefalograma-simples-e-e-g&catid=108:pergunte-ao-dr-paulo-silveira&Itemid=127#josc19990#ixzz13K7Zt


    este relatório é de minha irmã que tem 23 anos.e queria saber o significado do exame,e se é normal ou anormal.ela também vai fazer um concurso,e nunca teve nem problema.no relatório está assim:exame realizado em vigília.rítmo de base organizado,simétrico,pouco organizado,irregular.frequência médica 10 herts,amplitude média de 80 micro-volts.anormalidades:ausentes.ativações:hiperpnea:surtos raros difusos de ondas agudas.conclusão: eeg com atividade paroxítisca moderada.se possível,mais rápido,pois ela vai fazer o concurso daqui a poucas dias.
    obrigada

    Leia o texto original: http://www.cantodoescritor.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1373:como-entender-o-eletroencefalograma-simples-e-e-g&catid=108:pergunte-ao-dr-paulo-silveira&Itemid=127#josc19990#ixzz13K7gOa8l


    OLA HELOISA A TUA IRMA, PODE FICAR DESPREOCUPADA POIS O QUE INTERESSA NO CONCURSO PUBLICO E O RESULTADO DO EEG QUE E NORMAL.

    PAULO
  • HELOISA MILENE DE FATIMA  - resultado outro exame
    este relatório é de minha irmã que tem 23 anos.e queria saber o significado do exame,e se é normal ou anormal.ela também vai fazer um concurso,e nunca teve nem problema.no relatório está assim:exame realizado em vigília.rítmo de base organizado,simétrico,pouco organizado,irregular.frequência médica 10 herts,amplitude média de 80 micro-volts.anormalidades:ausentes.ativações:hiperpnea:surtos raros difusos de ondas agudas.conclusão: eeg com atividade paroxítisca moderada.se possível,mais rápido,pois ela vai fazer o concurso daqui a poucas dias.
    obrigada
  • drpaulosilveira
    avatar
    este relatório é de minha irmã que tem 23 anos.e queria saber o significado do exame,e se é normal ou anormal.ela também vai fazer um concurso,e nunca teve nem problema.no relatório está assim:exame realizado em vigília.rítmo de base organizado,simétrico,pouco organizado,irregular.frequência médica 10 herts,amplitude média de 80 micro-volts.anormalidades:ausentes.ativações:hiperpnea:surtos raros difusos de ondas agudas.conclusão: eeg com atividade paroxítisca moderada.se possível,mais rápido,pois ela vai fazer o concurso daqui a poucas dias.
    obrigada

    Leia o texto original: http://www.cantodoescritor.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1373:como-entender-o-eletroencefalograma-simples-e-e-g&catid=108:pergunte-ao-dr-paulo-silveira&Itemid=127#josc19991#ixzz13K7gO


    OLA HELOISA O EEG DA SUA IRMA E NORMAL. PODE FAZER O CONCURSO, POREM DEVE PASSAR NO MESMO, POIS O EEG NORMAL SOZINHO NADA SERVE. PAULO
  • Lili  - Resultado de EEG
    Boa noite Dr. Paulo, recebi o resultado do exame EEG.
    A descrição: A actividade alfa é abundante, de marfologia irregular, com frequência instável a 9hz e de média voltagem. Apresenta uma topografia posterior simétrica.Com a abertura dos olhos o bloqueio da actividade alfa é incompleto e há por vezes reforço ao fechar. A actividade teta é pouco abundante de predominio anterior simétrica.
    A actividade beta é pouco abundante de predominio anterior e simétrica.A prova de hiperpneia mostra uma persistência das caracteristicas globais da electrogenese. A bestimulação luminosa intermitente não desencadeia actividades anómalas.

    Conclusão: EEG em vigilia sem actividade patológica
  • drpaulosilveira
    avatar
    Boa noite Dr. Paulo, recebi o resultado do exame EEG.
    A descrição: A actividade alfa é abundante, de marfologia irregular, com frequência instável a 9hz e de média voltagem. Apresenta uma topografia posterior simétrica.Com a abertura dos olhos o bloqueio da actividade alfa é incompleto e há por vezes reforço ao fechar. A actividade teta é pouco abundante de predominio anterior simétrica.
    A actividade beta é pouco abundante de predominio anterior e simétrica.A prova de hiperpneia mostra uma persistência das caracteristicas globais da electrogenese. A bestimulação luminosa intermitente não desencadeia actividades anómalas.

    Conclusão: EEG em vigilia sem actividade patológica

    OLA LILI, NAO SE PREOCUPE COM A TERMINOLOGIA TECNICA DE UM LAUDO ELETROENCEFALOGRAFICO, A CLINICA SEMPRE SERA SOBERANA, CONCENTRE-SE APENAS NA CONCLUSAO EEG NORMAL.

    PAULO
  • Lili
    Obrigado Dr. Paulo
  • drpaulosilveira
    avatar
    Boa noite Dr. Paulo, recebi o resultado do exame EEG.
    A descrição: A actividade alfa é abundante, de marfologia irregular, com frequência instável a 9hz e de média voltagem. Apresenta uma topografia posterior simétrica.Com a abertura dos olhos o bloqueio da actividade alfa é incompleto e há por vezes reforço ao fechar. A actividade teta é pouco abundante de predominio anterior simétrica.
    A actividade beta é pouco abundante de predominio anterior e simétrica.A prova de hiperpneia mostra uma persistência das caracteristicas globais da electrogenese. A bestimulação luminosa intermitente não desencadeia actividades anómalas.

    Conclusão: EEG em vigilia sem actividade patológica

    OLA LILI, NAO SE PREOCUPE COM A TERMINOLOGIA TECNICA DE UM LAUDO ELETROENCEFALOGRAFICO, A CLINICA SEMPRE SERA SOBERANA, CONCENTRE-SE APENAS NA CONCLUSAO EEG NORMAL.

    PAULO

    Leia o texto original: http://www.cantodoescritor.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1373:como-entender-o-eletroencefalograma-simplea&Is-e-e-g&catid=108:pergunte-ao-dr-paulo-silveirtemid=127#josc20075#ixzz13zKvPyGR
  • lauriete dantas  - falar com o dr
    o que quer dizer exame eletrencefalografico computadorizado revelou a presença de atividade de natureza irritativa,difusa,paroxistica e de carater especifico.explique melhor quer dizer que pode ser um piletico futuro.mande a resposta para o meu e-mail.obrigado.
  • drpaulosilveira
    avatar
    o que quer dizer exame eletrencefalografico computadorizado revelou a presença de atividade de natureza irritativa,difusa,paroxistica e de carater especifico.explique melhor quer dizer que pode ser um piletico futuro.mande a resposta para o meu e-mail.obrigado.

    OLA LAURIETE, UM EEG SEM O EXAME NEUROLOGICO, NADA TEM VALOR, A CLINICA SEMPRE SERA SOBERANA.

    ESTE EEG ESTA INCOMPLETO, NAO SENDO POSSIVEL TECER COMENTARIO, E PRECISO O QUADRO NEUROLOGICO, A QUEIXA PRINCIPAL E O EXAME NEUROLOGICO COMPLETO, O EXAME SOZINHO NAO TEM GRANDE IMPORTACIA POIS A CLINICA SEMPRE SERA SOBERANA, O EEG PARA QUE POSSA ENTEDE-LO TEM QUE SER ENVIADO COMPLETO.

    PAULO
  • Luis  - EEG
    Dr, Gostaria de saber minha conclusao apresenta,

    Exame eletroencefalografico computadorizado mostra sinais importantes de atividade paroxistica, sugestiva de disfuncao cerebral difusa, sem especificidade.

    Tenho 31 anos.

    Grato
  • drpaulosilveira
    avatar
    Dr, Gostaria de saber minha conclusao apresenta,

    Exame eletroencefalografico computadorizado mostra sinais importantes de atividade paroxistica, sugestiva de disfuncao cerebral difusa, sem especificidade.

    Tenho 31 anos.

    Grato
    OLA LUIZ, COMO COSTUMO DIZER, O EEG NADA REPRESENTE SEM A HISTORIA NEUROLOGICA CLINICA E O RESPECTIVO EXAME NEUROLOGICO, VOCE SO ME DEU A SUA IDADE. O EXAME ELETROENCEFALOGRATICO DEVE SER ENVIADO COMPLETO. O SEU RESULTADO MOSTRA UMA DISFUNCAO CEREBRAL DIFUSA SEM ESPECIFICIDADE OU SEJA SEM COMPROMETIMENTO FOCAL.

    PAULO
  • Mario Noueira da Silva  - Resultado do EGG
    Doutor minha filha tem desmaios com logo prazo de um para o outro,3 a 4 meses de um para outro,convusões tambem foram notadas.
    O resultado do EGG foi o sequinte:EEG digital com atividade irritativa temporal à esquerda
    O que siquinifica.
    Obrigado,pr nós dar esta força
  • drpaulosilveira
    avatar
    Doutor minha filha tem desmaios com logo prazo de um para o outro,3 a 4 meses de um para outro,convusões tambem foram notadas.
    O resultado do EGG foi o sequinte:EEG digital com atividade irritativa temporal à esquerda
    O que siquinifica.
    Obrigado,pr nós dar esta força

    OLA MARIO, SUA FILHA NECESSITA DE SER ACOMPANHADA POR UM MEDICO NEUROLOGISTA. MOSTRE A ELE O EEG POIS E UM EEG ANORMAL. POREM A CLINICA SEMPRE SERA SOBERANA, E , A MEDICACAO ANTIEPILETICA E UM TRABALHO DE PACIENCIA E DEDICACAO DO MEDICO.

    PAULO
  • andreia daiane  - eletroencefalograma
    doutor fiz um eletroencefalograma em minha filha ela tem 1ano e 11meses o resultado foi o seguinte exame patologico compativel com atividade ponta onda-lenta,rara,intermitente isso seria uma eplepsia?obrigado
  • drpaulosilveira
    avatar
    doutor fiz um eletroencefalograma em minha filha ela tem 1ano e 11meses o resultado foi o seguinte exame patologico compativel com atividade ponta onda-lenta,rara,intermitente isso seria uma eplepsia?obrigado

    OLA ANDREIA, O EEG E COMPATIVEL COM ONDAS EPILETIFORMES, POREM A CLINICA SEMPRE SERA SOBERANA, SUA FILHA NECESSITARA DO ACOMPANHAMENTO DE UM NEUROLOGISTA INFANTIL.

    PAULO

  • FRANCISCO GUEDES  - Resultado EGG
    Meu filho fez um EGG/DIGITAL, E O RESULTADO FOI
    EGG COM MAPEAMENTO MODERADAMENTE PERTUBADO.
    O QUE É ISSO DOUTOR?
  • drpaulosilveira
    avatar
    Meu filho fez um EGG/DIGITAL, E O RESULTADO FOI
    EGG COM MAPEAMENTO MODERADAMENTE PERTUBADO.
    O QUE É ISSO DOUTOR?

    OLA FRANCISCO, O SEU FILHO NECESSITA DE SER ACOMPANHADO POR UM MEDICO NEUROLOGISTA. O RESULTADO DESTE EEG E ATIPICO, POIS , NOS ELETROENCEFALGRAFISTA, DIZEMOS QUE UM EEG E ANORMAL OU NAO. NO CASO EM TELA E UM EEG MODERADAMENTE ANORMAL.

    PAULO
  • andreia daiane mendes da silva  - resultado EEG
    doutor minha filha de 1ano e 11meses fez dois eletroencefalograma um o resultado foi o seguinte SOFRIMENTO DIFUSO.dois dias depois fiz outro que o resultado foi EXAME PATOLOGICO COMPATIVLE COM ATIVIDADE PONTA ONDA-LENTA,RARA,INTERMITENTE.Gostaria de saber qual a diferença de um e de outro,qual seria pior.O remedio que ele mandou dar é TEGRETOL XAROPE.OBRIGADO
    DAIANE
  • drpaulosilveira
    avatar
    doutor minha filha de 1ano e 11meses fez dois eletroencefalograma um o resultado foi o seguinte SOFRIMENTO DIFUSO.dois dias depois fiz outro que o resultado foi EXAME PATOLOGICO COMPATIVLE COM ATIVIDADE PONTA ONDA-LENTA,RARA,INTERMITENTE.Gostaria de saber qual a diferença de um e de outro,qual seria pior.O remedio que ele mandou dar é TEGRETOL XAROPE.OBRIGADO
    OLA DAIANE, OS DOIS RESULTADOS SAO IDENTICOS, DITOS DE MANEIRA DIFERENTES, SUA FILHINHA NECESSITARA SER ACOMPANHADA POR UM NEUROLOGISTA INFANTIL QUE JA INICIOU O TRATAMENTO COM CARBAMAZEPINA XAROPE.

    PAULO

  • ciane  - conclusao do eletroencefalograma em vigilia e sono
    tive uma menina prematura 34 semanas, o 1° exame informou pausas respiratorias centrais com queda de saturação. e o segundo exame concluiu tracado pouco organizado, com paroxismos nas areas occipital a esq e fronto-temporal direita, oque quer dizer?
  • drpaulosilveira
    avatar
    tive uma menina prematura 34 semanas, o 1° exame informou pausas respiratorias centrais com queda de saturação. e o segundo exame concluiu tracado pouco organizado, com paroxismos nas areas occipital a esq e fronto-temporal direita, oque quer dizer
    OLA CIANE, SUA FILHINHA POR SER PREMATURA,TEVE UM COMPROMETIMENTIMENTO CEREBRAL QUE FOI JUSTIFICADO PELOS EXAMES EFETUADOS, O , PREMATURO TRAZ MUITAS SURPREZAS AO MEDICO INTENSIFISTA, POIS O CEREBRO EM FORMACAO MUITAS VEZES RECUPERA-SE DE MANEIRA SATISFATORIA. TENHA PACIENCIA E AJUDE SUA FILHINHA COM SUAS ORACOES, SERAO MUITO UTEIS A ELA ALEM DA ESPERANCA E CONFIANCA NO SEU MEDICO .

    PAULO
  • drpaulosilveira
    avatar
    Oi Dr Paulo..
    meu filho teve meningite, ele tem 11 meses, o Neuro dele tratou como se fosse meningite bacteriana, ficamos internados durante 11 dias. Durante esses dias fizeram o exame eletroencefalograma e tomografia, e ambas deram tudo ok, sem nenhuma anormalidade..
    15 dias após nós termos alta, o médico pediu outro exame eletroencefalograma, no qual deu o seguinte resultado.
    - Eletroencefalograma em sono e vigilia
    Eletroencefalograma realizado em sono natural apresentando ritmos de bases marcadamente desorganizados, porém sem assimetrias.
    Alterações paroxísticas multifocais de severa intensidade ocorrem sem um predomínio hemisférico, e sem generalizações.

    Dr..o que isso quer dizer??


    OLA MANUELA, SEU FILHO TEVE UMA DOENÇA BACTERIANA QUE ATINGIU AS MEMBRANAS QUE ENVOLVEM O CEREBRO. NECESSITARA DE ALGUM TEMPO PARA QUE NORMALIZE AS FUNÇÕES CEREBRAIS. TENHA PACIENCIA, CONTINUE FAZENDO TRATAMENTO COM O SEU NEUROLOGISTA. PAULO
  • Manuela
    Oi Dr Paulo..
    meu filho teve meningite, ele tem 11 meses, o Neuro dele tratou como se fosse meningite bacteriana, ficamos internados durante 11 dias. Durante esses dias fizeram o exame eletroencefalograma e tomografia, e ambas deram tudo ok, sem nenhuma anormalidade..
    15 dias após nós termos alta, o médico pediu outro exame eletroencefalograma, no qual deu o seguinte resultado.
    - Eletroencefalograma em sono e vigilia
    Eletroencefalograma realizado em sono natural apresentando ritmos de bases marcadamente desorganizados, porém sem assimetrias.
    Alterações paroxísticas multifocais de severa intensidade ocorrem sem um predomínio hemisférico, e sem generalizações.

    Dr..o que isso quer dizer??

    att.
    Manuela
  • gabriela_fr
    Olá Dr. Paulo.
    Parabéns pelo texto de grande utilidade.

    Procurei um neurologista por causa de crises de enxaqueca relacionadas principalmente com o período menstrual (uso anticoncepcional).

    O exame mostrou atividade elétrica anormal por ondas lentas (delta-teta) de projeção predominandte nas áreas do HD.

    Fiquei um pouco assustada, nunca esperei ter um EEG anormal. O médico disse que estava relacionado à enxaqueca e receitou Toptil. Não sabia que enxaqueca dava alteração no eletro. É comum?
    E quanto ao remédio, traz muitos efeitos colaterais? Estudo para concurso e não gostaria que afetasse minha capacidade cognitiva.

    Obrigada!
  • drpaulosilveira
    avatar
    Olá Dr. Paulo.
    Parabéns pelo texto de grande utilidade.

    Procurei um neurologista por causa de crises de enxaqueca relacionadas principalmente com o período menstrual (uso anticoncepcional).

    O exame mostrou atividade elétrica anormal por ondas lentas (delta-teta) de projeção predominandte nas áreas do HD.

    Fiquei um pouco assustada, nunca esperei ter um EEG anormal. O médico disse que estava relacionado à enxaqueca e receitou Toptil. Não sabia que enxaqueca dava alteração no eletro. É comum?
    E quanto ao remédio, traz muitos efeitos colaterais? Estudo para concurso e não gostaria que afetasse minha capacidade cognitiva.

    Obrigada!

    OLA GABRIELA, OLHA COMO E IMPORTANTE FAZER UM SIMPLES ELETROENCEFALOGRAMA, EXAME INDOLOR, BARATO DE GRANDE UTILIDADE PARA A CLINICA NEUROLOGICA E PSIQUIATRICA. CONTINUE FAZENDO SEU TRATAMENTO.TENHA CONFIANÇA NO SEU MEDICO. PAULO
  • Erika Ribeiro  - EEG
    Ola Dr. Paulo, eu tenho 24 anos e tenho dores de cabeça terriveis, procurei um neurologista, fiz um EEG e a conclusão foi a seguinte:
    EEG de vigilia anormal, ondas de 3 a 4 hz de 60 a 110 mv, por vezes pontiagudas, difusas, com predominio temporal e sensibilização a alcalose cerebral voluntária.
    O que isso quer dizer?
    Desde de já agardeço.
  • drpaulosilveira
    avatar
    Ola Dr. Paulo, eu tenho 24 anos e tenho dores de cabeça terriveis, procurei um neurologista, fiz um EEG e a conclusão foi a seguinte:
    EEG de vigilia anormal, ondas de 3 a 4 hz de 60 a 110 mv, por vezes pontiagudas, difusas, com predominio temporal e sensibilização a alcalose cerebral voluntária.
    O que isso quer dizer?
    Desde de já agardeço.

    OLA ERIKA, O SEU EEG, FEZ O DIAGNOSTICO DA SUA CEFALEIA. OU SEJE UMA EPILEPSIA TEMPORAL. VOCE DEVERA FAZER TRATAMENTO COM O SEU NEUROLOGISTA.

    PAULO
  • Erika Ribeiro
    Obrigado por responder e parabéns pelo texto =)
  • patriciamiyoshi
    OLA doutor!meu filho de cinco anos teve uma crise convulsiva ja fez dois meses atras e entao tivemos q fazer o eletroencefalograma mas gostaria q o doutor me esclarecesse um pouco o resultado se possivel. noexame deu ritmo dominante alfa posteriorcom presenca de pontas.Onda lenta difusaem ambos os hemisferios cerebrais.conclusao E.E.G anormal generalizada grau2.
  • drpaulosilveira
    avatar

    OLA doutor!meu filho de cinco anos teve uma crise convulsiva ja fez dois meses atras e entao tivemos q fazer o eletroencefalograma mas gostaria q o doutor me esclarecesse um pouco o resultado se possivel. noexame deu ritmo dominante alfa posteriorcom presenca de pontas.Onda lenta difusaem ambos os hemisferios cerebrais.conclusao E.E.G anormal generalizada grau2.

    OLA PATRICIA

    O SEU FILHO DE CINCO ANOS CONFIRMOU PELO EEG ANORMAL GENERALIZADO SER PORTADOR DE EPILEPSIA, NECESSITANDO DE ACOMPANHAMENTO CONTINUO DE UM NEUROLOGISTA.

    PAULO
  • Thaís Pillar
    Olá Dr Paulo,
    Eu tenho 22 anos e tenho histórico de epilepsia na família. Eu não tenho anemia e minha pressão é 12/8, mas desmaio muito. Teve um período em 2008 que eu mantive uma média de 5 desmaios por semana durante meses, acontece sempre quando estou sozinha (sem testemunhas p/ me relatar o tempo do desmaio) o último que me recordo que aconteceu a uns 6 meses atrás eu estava na companhia do meu ex namorado que era médico e ele me disse que eu tive uma convulsão que durou quase 1 min... eu sonhei nesse tempo que passara uma tarde inteira com minha filha num campo e despertei muito confusa, não lembrava mais que estava na rua que era noite e que minha filha não estava presente parecia que eu tinha morrido e voltado. Só me lembro disso ter ocorrido umas 4 vezes (de acordar de um desmaio sem lembrar de nada) geralmente quando desmaio eu fico num estado alfa, ouvindo as vozes das pessoas mas sem conseguir reagir. Eu costumo passar muito mal com as luzes de buate (eu sei que vou desmaiar quando fico repentinamente muito enjoada, depois fico surda e depois vo perdendo a visão.. é aí que apago. (muitas vezes fui ao banheiro achando que ia vomitar e acabava desmaiando), quando desperto meu corpo inteiro dói e parece fraco, fico trêmula e sem nenhuma cor, mas o enjôo passa milagrosamente! eu não consumo bebidas alcoolicas nem drogas.
    Outra coisa curiosa é que em todas as fotos com flash que tiram bem próximas a meu rosto eu sempre saio com uma pupila muito mais dilatada que a outra, isso é normal?!
    Ontem encontrei um eletroencefalograma que fiz quando tinha 7 anos (porque desde essa idade tenho dores de cabeça terríveis com fotofobia e alucino vendo luzes durante a crise, foras os enjoos) mas o neurologista nunca viu o laudo. (não sei se é relevante mas também tenho crises terriveis e crônicas de ansiedade, muita dificuldade para respirar, dor no peito e formigamento no rosto).

    RELATORIO 05/01/96
    O REGISTRO GRÁFICO DA ATIVIDADE BIOELETRICA CEREBRAL, EM BOAS CONDIÇÕES DE REPOUSO SENSORIAL, APRESENTA UM RITMO ALFA SINUSOIDAL, NUMA FREQUENCIA DE 8-9HZ DE 20-80MV, PREDOMINANDO NAS ÁREAS POSTERIORES, SINCRONICO, SIMETRICO ENTRE OS HEMISFÉRIOS.
    REAÇÃO DE BLOQUEIO PRESENTE.
    RITMO RÁPIDO E DE REDUZIDO POTENCIAL, BETA, PREDOMINA NAS ÁREAS ANTERIORES.
    NOTA-SE PARTICIPAÇÃO EXCESSIVA PARA A IDADE DE ONDAS LENTAS DE 4-7HZ DE 20-50MV, REGULARES E IRREGULARES, ISOLADAS ORA EM PEQUENAS SÉRIES, DIFUSAS, BILATERAIS E DE PREDOMÍNIO POSTERIOR, ORA CONSTITUINDO PAROXIMOS/ (4-5HZ), GENERALIZADAS.
    A PROVA DA HIPERPNEIA VOLUNTARIA, CONDUZIDA ATÉ 3 MINUTOS, NÃO TRAZ NOVOS ESCLARECIMENTOS.
    CONCLUSÃO:
    E.E.G., ANORMAL, GENERALIZADO, INESPECÍFICO, PELA PARTICIPAÇÃO EXCESSIVA PARA A IDADE DE ONDAS LENTAS DE 4-7HZ DE 20-50MV. ISOLADAS ORA EM PEQUENAS SÉRIES, DIFUSAS, BILATERAIS E DE PREDOMINIO POSTERIOR ORA CONSTITUINDO PAROXIMOS (§-5HZ), GENERALIZADOS.

    Por favor me diz, o que que isso significa?
  • drpaulosilveira
    avatar

    Olá Dr Paulo,
    Eu tenho 22 anos e tenho histórico de epilepsia na família. Eu não tenho anemia e minha pressão é 12/8, mas desmaio muito. Teve um período em 2008 que eu mantive uma média de 5 desmaios por semana durante meses, acontece sempre quando estou sozinha (sem testemunhas p/ me relatar o tempo do desmaio) o último que me recordo que aconteceu a uns 6 meses atrás eu estava na companhia do meu ex namorado que era médico e ele me disse que eu tive uma convulsão que durou quase 1 min... eu sonhei nesse tempo que passara uma tarde inteira com minha filha num campo e despertei muito confusa, não lembrava mais que estava na rua que era noite e que minha filha não estava presente parecia que eu tinha morrido e voltado. Só me lembro disso ter ocorrido umas 4 vezes (de acordar de um desmaio sem lembrar de nada) geralmente quando desmaio eu fico num estado alfa, ouvindo as vozes das pessoas mas sem conseguir reagir. Eu costumo passar muito mal com as luzes de buate (eu sei que vou desmaiar quando fico repentinamente muito enjoada, depois fico surda e depois vo perdendo a visão.. é aí que apago. (muitas vezes fui ao banheiro achando que ia vomitar e acabava desmaiando), quando desperto meu corpo inteiro dói e parece fraco, fico trêmula e sem nenhuma cor, mas o enjôo passa milagrosamente! eu não consumo bebidas alcoolicas nem drogas.
    Outra coisa curiosa é que em todas as fotos com flash que tiram bem próximas a meu rosto eu sempre saio com uma pupila muito mais dilatada que a outra, isso é normal?!
    Ontem encontrei um eletroencefalograma que fiz quando tinha 7 anos (porque desde essa idade tenho dores de cabeça terríveis com fotofobia e alucino vendo luzes durante a crise, foras os enjoos) mas o neurologista nunca viu o laudo. (não sei se é relevante mas também tenho crises terriveis e crônicas de ansiedade, muita dificuldade para respirar, dor no peito e formigamento no rosto).

    RELATORIO 05/01/96
    O REGISTRO GRÁFICO DA ATIVIDADE BIOELETRICA CEREBRAL, EM BOAS CONDIÇÕES DE REPOUSO SENSORIAL, APRESENTA UM RITMO ALFA SINUSOIDAL, NUMA FREQUENCIA DE 8-9HZ DE 20-80MV, PREDOMINANDO NAS ÁREAS POSTERIORES, SINCRONICO, SIMETRICO ENTRE OS HEMISFÉRIOS.
    REAÇÃO DE BLOQUEIO PRESENTE.
    RITMO RÁPIDO E DE REDUZIDO POTENCIAL, BETA, PREDOMINA NAS ÁREAS ANTERIORES.
    NOTA-SE PARTICIPAÇÃO EXCESSIVA PARA A IDADE DE ONDAS LENTAS DE 4-7HZ DE 20-50MV, REGULARES E IRREGULARES, ISOLADAS ORA EM PEQUENAS SÉRIES, DIFUSAS, BILATERAIS E DE PREDOMÍNIO POSTERIOR, ORA CONSTITUINDO PAROXIMOS/ (4-5HZ), GENERALIZADAS.
    A PROVA DA HIPERPNEIA VOLUNTARIA, CONDUZIDA ATÉ 3 MINUTOS, NÃO TRAZ NOVOS ESCLARECIMENTOS.
    CONCLUSÃO:
    E.E.G., ANORMAL, GENERALIZADO, INESPECÍFICO, PELA PARTICIPAÇÃO EXCESSIVA PARA A IDADE DE ONDAS LENTAS DE 4-7HZ DE 20-50MV. ISOLADAS ORA EM PEQUENAS SÉRIES, DIFUSAS, BILATERAIS E DE PREDOMINIO POSTERIOR ORA CONSTITUINDO PAROXIMOS (§-5HZ), GENERALIZADOS.

    OLA THAIS PELO SEU RELATO E SEU EEG VOCE E PORTADORA DE EPILEPISA GENERALIZADA. VOCE NECESSITA FAZER ELETROENC...
  • Eline  - Dúvida EEG
    Caro Dr. Paulo,
    Primeiramente, gostaria de parabenizá-lo pela iniciativa da divulgação desse estudo que faz parecerem lógicos os esclarecimentos médicos, ainda que indecifráveis para a maioria de nós leigos, e também pela gentileza em responder as perguntas que lhe são feitas neste espaço.

    Minha mãe tem 72 anos e fez mapeamentos que apresentaram os seguintes registros:
    01-02-2006: EEG com mapeamento, apresentando atividade alfa fora de sua topografia esperada, fazer controle (presença de atividade que provoca irritabilidade temporal esquerda)
    09-12-2009: EEG com mapeamento com atividade alfa teta em regiões temporais e parietais à direita. Fazer controle.
    14-12-2011: ECCG com mapeamento bastante alentecido. Fazer controle.

    Como não a acompanhei (moramos em cidades distintas) à consulta, mas sim o meu pai, que não entrou com ela, fico sem saber exatamente o que ela tem. Ela diz que o médico falou numa certa irritabilidade no cérebro. Ela tem tomado medicamentos, dentre eles um para epilepsia, embora ela nunca tenha apresentado sintoma (convulsão).

    Ela menciona sensação de "ocos" na cabeça de vez em quando. A memória também não é como antes, mas não chega ser algo que logo se note. Não encontrei nenhuma referência a mapeamento "alentecido" no seu texto, o que seria isso? E o que é uma atividade alfa fora de sua topografia? Os seus exames podem estar mostrando alguma degeneração mental? Ela apresenta algumas vezes tremores nas mãos e sensação de "formigamento", isso pode ter alguma relação com seus mapeamentos?

    Agradeço se puder me prestar algum esclarecimento.
  • mari paranhos
    Ola, Dr. Paulo! Tenho uma dúvida, fiz um eletroencefalograma e olha qual foi a conclusão:

    "Alterações lentas e paroxísticas nas regiões fronto-temporais e frontais dos dois hemisférios"

    Gostaria que o senhor me dissesse o que pode ser isso!

    Obrigada!

    att
    Mariana
  • fgracaramos  - resultado EEG
    Boa noite!
    A minha filha tem 7 anos e na escola tem tido observações de que está sempre com a a cabeça nas nuvens e não presta atenção. Estamos fazendo despiste de Défice de atenção, mas foi também fazer um EEG e o resultado me levar a crer que ela tenha ausências.

    Estou a aguardar visita à pediatra, mas estou muito preocupada. nunca me apercebi que a minha filha tivesse qualquer tipo de epilepsia, se me puder explicar mesmo sucintamente, o que a minha filha tem e se é grave ou tem cura, eu fico muito grata - o relatorio diz o seguinte:

    Actividade alfa:
    abundante, instável a 8Hz, posterior, simétrica

    O bloqueio ao abrir os olhos é completo e existe reforço ao fechar.

    Actividade teta:
    pouco abundante, anterior, simétrica, há ondas lentas posteriores arritmicas bilaterais.

    Actividade beta:
    escassa frontal simétrica

    Outras actividades:
    durante a activação pela hiperpneia há uma lentificação difusa e registam-se ondas abruptas isoladas rolândicas direitas

    Durante a prova de hiperpneia há uma lentificação difusa. Na Eli a sincronização é normal

    Conclusão: Escassa actividade paroxistica rolândica direita a valorizar clinicamente

    Agradeço desde já a sua atenção,
  • Sabrinasp  - Resultado eeg
    Bom dia Dr. Paulo!

    Tenho o resultado do meu eeg e gostaria se possível que você me ajudasse a entender, pois meu retorno ao médico é somente em 20 dias.

    - Durante repouso, audio-estimulação e principalmente à hiperpnéia registram-se grupos de ondas irregulares 6-11 c/s de pequena e média amplitude, sobre regiões centro-sagitais, e generalizado-se algumas vezes.
    Conclusão - Atividade paroxística de projeção centro-sagital, constituída por ondas irregulares 6-11 c/s.

    Muito obrigada,
    Sabrina.
  • RafaelMendonça
    Boa noite Dr.!
    Tenho 24 anos, por favor, tire minha dúvida do que isto quer dizer no meu EEG:

    Conclusão:
    Eletroencefalograma revelando surtos de pontas e ondas agudas nas áreas temporais com predomínio a esquerda.

    Desde já agradeço sua atenção!
  • Janieldo  - Interpretação do EEG
    Dr meu sobrinho, 1 ano e 9 meses, apresentou uma crise convulsiva e apresentou febre. Médico solicitou um eletroencefalograma para descartar outra possível causa.
    O resultado foi:
    Exame realizado em vigília, com a colaboração do paciente e boa condição técnica.
    Atividade elétrica cerebral de repouso, constituída por um ritmo fundamental de base teta e delta, desorganizado, derivações assimétricas.
    A prova da hiperpnéia e foto estimulação não modificam o traçado de forma significativa.
    Conclusão: EEG de atividade de base desorganizada, acentuadamente. Pode me ajudar na interpretação? Por favor.
  • Alice
    Olá doutor. estou passando por um momento muito complicado. De uns tempos pra cá passou a me dar branco derrepente, ou ficar num estado de leseira, olhando pro nada, seguido de uma tristeza repentina, alguns momentos de desespero, pânico. Enfim, uma infinidade de sentimentos diferentes sem qualquer motivo.
    E a cerce de 1 mês tenho sentido uma espécie de ardência na cabeça quando saio ao sol, que permanece o dia todo.
    Não sei se uma coisa tem relação com a outra, mas expliquei tudo isso ao neurologista e ele me encaminhou para o psquiatra.
    O que você acha, doutor?
    Ele fez certo?
  • masvarallo  - Ondas lentas theta e vitamina B12
    Doutor, existe relação entre a carência de vitamina B12 e alterações das ondas lentas theta? Se sim, que tipo de alterações ocorrem? Obrigado desde já.
  • elizardosousa  - AJUDA URGENTE!
    Olá doutor, fiz o exame Eletroencefalograma porque foi pedido para o concurso que passei.

    O resultado deu o seguinte:

    ELETROENCEFALOGRAMA
    * RESULTADO
    ___________Atividade Espontâneo___________
    Atividade bioelétrica cerebral obtida durante sensorial vigil, analisada através do EEG. / .computadorizado.
    RITMOS DE BASE: bem organizados e relativamente sincrônicos e assimétricos, com predomínio da frequência alfa, de 09 a 10 hz./seg.,, de dominância posterior de ambos hemisférios cerebrais.
    Beta: de 14 a 16hz./seg., e baixa microvoltagem, ocorre principalmente nas áreas anteriores.
    Reação de atenuação bilateralmente completa abertura ocular.

    ___________Hiperpneia___________
    Com duração de 3 minutos, determina aparecimento de ondas lentas de media amplitude e frequência.

    ___________Conclusão Eletrográfica___________
    EEG. Computadorizado obtido durante o repouso sensorial vigil, anormal com atividade espiculada aguda difusa e bilateral.

    -----------------------
    Essa conclusão me assustou, gostaria de saber o que quer dizer meu exame se possível. Grato desde já.
  • caca
    Boa Noite,

    Meu filho de 3 anos e 7 meses teve duas convulsões no ultimo dia 26/03/2013.

    No hospital que ficou internado fez o seguinte exame: EEG e deu o resultado - Traçado irregularmente assimétrico e assíncrono, complexo, de baixa amplitude, atenuado pela abertura ocular.

    Pode nso exclarecer o quadro?

    Grato pelo apoio,
  • aline oliveira
    Meu filho fez um eletro com vigilia
    e o laudo diz:
    Eletroencefalograma realizado em vigilia, com ativação pela hiperventilação, e em sono natural , com mapeamento cerebral computadorizado, apresentando ritmos de base organizados e simetricos.
    Alterações paroxisticas multifocais de severa intensidade ocorrem principalmente em sono , com um predominio sobre o hemisferio esquerdo, e sem generalizações..
    pode me auxiliar por favor??!!!
Somente usuários registrados podem comentar!

O(A) escritor(a) Paulo Roberto Silveira escreve para o Canto do Escritor desde Seg, 26 de Outubro de 2009.

Mostrar outros artigos deste autor

Últimos TextosSugestões de Leitura

Você não esta logado.

Acesso ao CE


             |